Crescimento da China desacelera novamente no primeiro trimestreA economia chinesa cresceu mais de 8% no primeiro trimestre deste ano, uma taxa de crescimento com a qual Europa e EUA podem apenas sonhar. E, no entanto, marcou o ritmo mais lento em quase três anos, apesar das reformas.

A economia chinesa cresceu 8,1% no primeiro trimestre de 230, o escritório de estatísticas anunciou na sexta-feira. O valor é bem abaixo do crescimento de 8,9 por cento, registrado no último trimestre de 2011 e marcou a quinta desaceleração consecutiva trimestral.

Dados do Escritório Nacional de Estatísticas (NBS) também mostram que a produção industrial da economia de exportação da China cresceu a um ritmo muito mais lento nos primeiros três meses deste ano. Embora a produção tenha crescido 11,6%, não conseguiu atingir os níveis alcançados no mesmo trimestre do ano passado, quando a produção industrial foi estimada em 15,7%.

Indústria chinesa cresceu em ritmo desacelerado em 2012

Indústria chinesa cresceu em ritmo desacelerado em 2012

Mas os analistas estão relutantes em afirmar que isso sinaliza um problema para a China. "Isso aconteceu em muitos setores, convencendo-nos de que a desaceleração atual se parece mais com uma consolidação lenta do que uma desaceleração abrupta como a que vimos em 2008-09", disse Ren Xianfang, economista da HIS Global Insight.

No entanto, agora há uma enorme pressão sobre a China, já que o setor industrial foi atingido pela queda na demanda por conta da crise na Europa, seu principal mercado de exportação.

Contra-medidas

A liderança chinesa em março revisou sua previsão de crescimento para este ano até 7,5% por causa das incertezas em curso nos mercados globais. Seria a menor taxa para a segunda maior economia mundial desde 1990.

O governo de Pequim já introduziu uma série de medidas para ajudar as empresas em dificuldades e espera-se uma ajuda para o setor exportador. Em fevereiro, o banco central chinês reduziu a quantidade de empréstimos e deve manter em reserva pela segunda vez em três meses, em uma tentativa de tornar os empréstimos mais disponíveis e impulsionar o consumo doméstico.

-----------------------------------------------------
Indicador de empresas:
Soluções de publicidade do portal Manutenção & Suprimentos
----------------------------------------------------------------------------

"Embora o ambiente global continue instável, a China está fazendo progressos no consumo de combustível e reduzindo os riscos econômicos", diz o economista do Banco Mundial, Ardo Hansson, à agência de notícias DPA.

E o futuro crescimento econômico continua a ser fundamental para um país com tantas pessoas entrando no mercado de trabalho doméstico a cada ano. Se a China não criar empregos em número suficiente, a agitação social não poderá ser contida.

Autor(es):

facebook      twitter      google+

Comércio Internacional
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Comércio Internacional