A mineradora australiana BHP Billiton obteve controle da WMC Resources, também da Austrália, na sexta-feira, e elevou a sua participação no mercado de urânio e níquel para 55,45%. A empresa também estendeu sua oferta de 9,2 bilhões de dólares australianos (US$ 6,9 bilhões) até 17 de junho. Maior mineradora diversificada do mundo, a BHP chegou a informar que abandonaria sua oferta de 7,85 dólares australianos por ação se não conseguisse 50% das ações da WMC até o início da própria sexta-feira.

Por meio de comunicado, a empresa divulgou que obteve 55,45% da WMC, acima dos 16,4% do início da semana passada, depois que os investidores da mineradora australiana correram para aceitar a sua oferta. Os investidores normalmente aguardam para vender as ações no último minuto, na expectativa de que surja uma oferta maior.

A WMC controla 38% das reservas conhecidas de urânio do mundo e é a quinta maior produtora de níquel do planeta. A aquisição torna a BHP Billiton a segunda maior produtora mundial de cobre, atrás apenas da chilena Codelco. Com a compra, ela passa a ser também a terceira maior mineradora de níquel do mundo, perdendo as primeiras posições somente para a russa Norilsk Nickel e para a canadense Inco.

A BHP também é uma importante extratora de petróleo e gás, com uma produção de 123 milhões de barris de óleo equivalente (boe) no ano fiscal de 2004. A proposta da BHP superou uma oferta hostil de 8,2 bilhões de dólares australianos feita pelo grupo anglo-suíço de mineração Xstrata.

Autor(es): Gazeta Mercantil

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas