Google
Matérias, artigos e empresas relacionados a Manutenção e Suprimentos para a indústria
Esqueci minha senha

Como funciona um sensor optoeletrônico

A iluminação automática dos farois de um carro é controlada por um sensor de luz passiva. Ele mede a luz disponível usando um conjunto de células fotoelétricas.

Mais notícias relacionadas a automação industrial:

Manuseio automatizado de materiais
Exemplos incluem esteiras de transporte e robôs na linha de montagem.


Rede ágil em automação
Um componente importante de uma rede ágil é o elemento de automação. Todo o software ...


Novos transmissores da Honeywell melhoram eficiência da produção
SmartLine tem como objetivo promover a diminuição do custo total em cada ponto do ciclo ...


Como funciona um sensor optoeletrônicoOs sensores optoeletrônicos são utilizados em carros modernos num modo de reflexão em sistemas de sensores de chuva para detectar a presença de água nos para-brisas, de modo que o limpador possa ser controlado automaticamente.

Um LED emite luz de tal modo que, quando o pára-brisa está seco, quase toda a quantidade de luz é refletida para um sensor de luz. Quando ele é molhado pela chuva, o comportamento refletor se altera: quanto mais água existe na superfície, menos luz é refletida. No novo sensor de chuva, a luz infravermelha é usada em vez da luz visível convencional. Isto significa que o sensor pode ser montado na área preta na borda do para-brisa e não pode ser visto a partir do exterior.

Sensores detectam presença de chuva no para-brisa de carros

Sensores detectam presença de chuva no para-brisa de carros

Um feixe de infravermelho é refletido na superfície do para-brisa externo de volta para a matriz de sensores infravermelhos. Quando a umidade atinge o pára-brisa, o sistema detecta uma reflexão para o seu raio infravermelho. Avançado processamento de sinal analógico e digital determina a intensidade da chuva. O sensor comunica com o módulo de controle do limpador, que liga o motor do limpador e controla os limpadores automaticamente, de acordo com a intensidade de umidade detectada.

Dependendo da quantidade de chuva detectada, o sensor controla a velocidade do sistema de limpeza. Em conjunto com unidades de acionamento controladas eletronicamente do limpador, a velocidade de limpeza pode ser continuamente ajustada para operação intermitente. Em caso de respingos de água - como numa ultrapassagem a um caminhão -, o sistema passa imediatamente para a velocidade mais alta.

-----------------------------------------------------
Indicador de empresas:
Soluções de publicidade do portal Manutenção & Suprimentos
----------------------------------------------------------------------------


O novo sensor de chuva oferece mais opções. Por exemplo, pode ser usado para fechar janelas e tetos solares automaticamente se o veículo se encontra estacionado e começa a chover. Pode mesmo ser equipado com um sensor de luz adicional para controlar os faróis - durante a noite ou na entrada de um túnel, as luzes pode ser ligadas sem qualquer intervenção do condutor.

Sensores de luz

A iluminação automática dos farois é controlada por um sensor de luz passiva. Ele mede a luz disponível usando um conjunto de células fotoelétricas. O sensor de luz é composto por três lentes que focalizam a luz em três células fotoelétricas. Isso permite que "o espaço luminoso" se espalhe em torno do veículo em várias zonas através da diretividade de cada par de lentes básicas da célula.

Carros equipados com sensores acendem os farois automaticamente

Carros equipados com sensores acendem os farois automaticamente

  • Lente 1: Mede o total de luz no ambiente
  • Lente 2: Faz a intersecção da fonte de luz frontal
  • Lente 3: Distingue a condição da estrada (como sol brilhando ou túnel escuro)

Ao comparar a informação recolhida por estes três dispositivos, o computador do sistema determina a situação com que o veículo é confrontado e comanda os farois conforme a necessidade.

facebook      twitter      google+

* campos obrigatórios

Outras notícias relacionadas a automação industrial:

SKF lança rolamentos lineares de esferas recirculantes

A SKF traz para o mercado brasileiro os novos modelos rolamentos lineares de esferas recirculantes. Essa linha oferece muitas vantagens e já é considerada uma referência entre os usuários ...
Brazil Automation 2012 acontece em SP de 6 a 8 de novembro

O ExpoCenter Norte, em São Paulo, recebe em novembro a 16ª edição do maior evento de Instrumentação, Sistema e Automação das Américas e um dos ...
Diferenças entre manufatura enxuta e manufatura ágil

Existem muitas diferenças entre manufatura enxuta e ágil, incluindo estilo de produção, níveis de estoque e habilidades de personalização. A técnica de fabricação enxuta ...
Prós e contras da manufatura ágil

A fabricação ágil é uma estratégia de produção de negócios que utiliza peças modulares e automação, ao invés de um modelo de linha de ...
O que é simulação robótica

Simulação robótica é um método e um meio para testar o desempenho de componentes robóticos sem incorporá-los fisicamente em um robô. Normalmente realizado usando um tipo ...
Sistema flexível de fabricação

Um sistema flexível de fabricação (SFF) é um tipo de processo industrial que permite que o equipamento seja utilizado para mais do que uma função, embora possam estar ...
Tipos de sistemas de linha de montagem

Embora existam muitos tipos de sistemas de linha de montagem, algumas variações comuns incluem os modelos clássicos, automatizados, intermitentes e de manufatura enxuta. Estes sistemas de linha de ...

Automação Industrial
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Automação Industrial


Veja na Agenda de Feiras e Congressos
Veja na Agenda de Feiras e Congressos

Google