Google
Matérias, artigos e empresas relacionados a Manutenção e Suprimentos para a indústria
Esqueci minha senha

Alumínio poderá ser produzido a temperaturas mais baixas

Mais notícias relacionadas a suprimentos industriais:

Nanopartículas de óxido de zinco
Partículas individuais de óxido de zinco têm tamanho reduzido, que pode chegar a até 20 ...


Diferenças entre resinas e polímeros
Polímeros passam por um processo especial, chamado polimerização; já as resinas apresentam capacidade de serem ...


Titânio em pó
O processo de transformar o metal em pó não deixa resíduos e mantém a durabilidade ...


Pesquisadores do Argonne National Laboratory, dos Estados Unidos, e da empresa NorandaFalconbridge, fabricante de alumínio que opera em 18 países, conseguiram desenvolver um novo processo produtivo que consegue baixar em quase 300º C a temperatura na qual é produzido o alumínio.

O alumínio é retirado de um minério chamado alumina, que é um trióxido do elemento (Al2O3), em células eletrolíticas. Nestas células, a alumina, dissolvida em um eletrólito fundido, tem seus átomos de oxigênio arrancados por uma forte corrente elétrica. O processo se dá a uma temperatura de 960º C.

O coordenador do projeto, John Hryn, afirma que poucos materiais conseguem resistir ao oxigênio liberado no interior da célula, que é capaz de oxidar o que encontrar pela frente. O processo hoje empregado mundialmente utiliza anodos de carbono. À medida em que o oxigênio é retirado das moléculas de alumina, ele reage com o carbono do anodo, sendo liberado como dióxido de carbono. O anodo, obviamente, desgasta-se muito rapidamente, o que é um elemento de custo importante na produção do alumínio.

Tentando otimizar o desempenho das células eletrolíticas, os pesquisadores descobriram que podem substituir os anodos de carbono, que se desgastam continuamente, por outros, mais duráveis, desde que consigam baixar a temperatura da reação. "Uma temperatura mais baixa abre a possibilidade para alguns outros materiais para o anodo," afirma Hryn.

Baixando a temperatura da reação para 700º C, 260 graus a menos do que a técnica atual, os pesquisadores conseguiram utilizar anodos de uma liga de alumínio e bronze. Em escala de laboratório, a nova célula eletrolítica operou por 100 horas sem qualquer corrosão apreciável dos novos anodos.

Além de tornar o processamento do alumínio mais barato, o novo processo libera oxigênio, em vez do dióxido de carbono e do perfluorcarbono, dois gases que causam o efeito estufa.

Mas Hryn avisa que os maiores desafios ainda estão por vir. O novo processo deverá ser testado sucessivamente em escalas cada vez maiores, cada teste envolvendo correntes elétricas mais altas e funcionando por maiores períodos de tempo.

"Em grande escala nós começaremos a ver os problemas com os materiais aparecerem," afirmou ele. "Coisas que parecem funcionar bem no laboratório tendem a falhar em larga escala, primariamente porque você está trabalhando em condições extremas. Nossa vantagem é que estamos operando com 260 graus a menos do que qualquer outro [grupo de pesquisadores], e isto é uma grande diferença para os materiais."

Inovação Tecnológica

facebook      twitter      google+

* campos obrigatórios

Outras notícias relacionadas a suprimentos industriais:

O que é velcro industrial

O velcro® de força industrial é uma marca de prendedores feitos pela Velcro Industries. Essa versão do produto já conhecido da marca foi concebida para aplicações mais pesadas ...
Plástico resistente ao calor

Plástico resistente ao calor é um corpo de material composto de substâncias químicas sintéticas, usualmente polímeros, os quais criam uma variedade de propriedades físicas. Átomos ...
Tipos de pó inseticida

Pó inseticida é usado para matar vários tipos de insetos ao ar livre e dentro de ambientes. No interior de edifícios, o pó é aplicado ao longo das rachaduras perto ...
Para que são usados os inseticidas

Inseticidas são de uso comum na agricultura, bem como em plantas em jardins e espaços vivos, com o intuito de controlar a invasão de uma matriz aparentemente ...
Usos do naftaleno

O naftaleno, ou naftalina, é um produto químico utilizado para fazer inseticidas, lubrificantes, resinas, solventes muitos outros produtos de consumo comerciais. Este pó sólido branco é mais conhecido como naftalina ...
Usos da DMDM-hidantoina

Dimetilol dimetil-hidantoína (DMDM-hidantoína), é um ingrediente conservante comum encontrado em produtos cosméticos, na produção de materiais de construção e em artigos domésticos. O composto qu ...
Produção de formaldeído

Compostos orgânicos, simples ou complexo, podem ser produzidos de várias maneiras. Apenas os de melhor custo-benefício podem ser utilizados para a produção comercial. A produção ...

Suprimentos Industriais
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Suprimentos Industriais


Veja na Agenda de Feiras e Congressos
Veja na Agenda de Feiras e Congressos

Google