A estratégia de crescimento da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), com o aumento da participação das áreas de mineração e logística e a entrada no segmento de cimento - além do fortalecimento em siderurgia -, deverá ser acelerada com a conclusão do processo de aquisição da participação da família Rabinovich na Vicunha Steel pela família Steinbruch.

É esta a avaliação de especialistas no setor. Para Pedro Galdi, analista de siderurgia da ABN Amro Real Corretora, a expectativa é de que a empresa tenha ações mais agressivas em todos os braços de negócios, que na sua opinião vinham sendo tocados em um ritmo lento. Galdi afirma ainda que os papéis da empresa devem reagir, por conta da mudança.

Já analista da corretora Ágora Senior, Cristiane Viana, lembra que o valor de mercado da empresa, de R$ 9,9 bilhões, não reflete o potencial real da siderúrgica, e deve melhorar. "A atual valorização da empresa não reflete os cenários positivos, de forte atuação no setor siderúrgico e crescimento do segmento de minério de ferro", afirma.

Para a analista da corretora Bes Securities, Elaine de La Rocque, concluída a compra da participação da família Rabinovich, a CSN deve se focar em novas oportunidades de expansão, além de continuar tocando seus projetos já iniciados. Os analistas concordam ainda, que frente à nova dívida (referente à aquisição, estimada em R$ 1,7 bilhão), a CSN deverá continuar mantendo uma agressiva política de pagamento de dividendos.

Autor(es): Diário do Comércio

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia