A Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais (Usiminas), com o maior complexo siderúrgico da América Latina, localizado em Ipatinga (Vale do Aço), começa hoje a negociar suas ações no Latibex, bolsa de valores espanhola onde são negociados apenas papéis de empresas latino-americanas. O presidente da siderúrgica, uma das principais fabricantes de aços planos no país, Rinaldo Campo Soares, fará nesta terça-feira, em Marid, a abertura de honra da bolsa, simbolizando a primeira negociação da siderúrgica na Latibex.

Segundo comunicado enviado à imprensa, o objetivo é facilitar o acesso da empresa à comunidade financeira européia. 'A partir de agora, os investidores europeus poderão negociar ação da Usiminas diretamente na Europa', disse Soares. Até então, os papéis da Usiminas eram negociados apenas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e de Nova York.

A Usiminas é hoje a quarta empresa de maior peso no índice brasileiro Ibovespa, com uma ponderação de 5,16%. A siderúrgica fará parte do índice FTSE Latibex All Share. De acordo com o professor de finanças do Ibmec Business School, Juliano Lima Pinheiro, a entrada dos papéis da siderúrgica na bolsa européia vislumbra uma participação globalizada da empresa, que agora ultrapassa as Américas.

Segundo Pinheiro, a participação no Latibex aumenta a base de captação da empresa, agora que não se limita mais ao Brasil e Estados Unidos. Ele acrescentou que a Usiminas ainda diversifica o risco de concetração das ações, uma vez que espalha as ações pelo mundo. 'Isso evita que um acionista compre as participações de outros', afirmou. É o caso da família Steinbruch que comprou a participação da família Rabinovic e hoje comanda a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN).

Autor(es): Diário do Comércio

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia