Processo de lixiviação in-situLixiviação in-situ é um processo utilizado em mineração para a recuperação de certos tipos de minerais, como ouro, urânio e cobre.

A técnica requer que buracos sejam perfurados no local onde o depósito está localizado, com o objetivo de criar portais através dos quais um determinado líquido seja vertido para baixo para o depósito por esse canal criado.

Esta mistura líquida é geralmente composta por um tipo de solução de lixiviação, que serve como um veículo para o transporte do mineral a partir da sua localização à superfície, a partir de onde pode ser processado.

Diagrama mostra lixiviação in-situ de urânio

Diagrama mostra lixiviação in-situ de urânio

A solução mistura-se com qualquer mineral está localizado no sítio, agindo como uma espécie de solvente que rompe o mineral em partículas menores que podem ser transportadas pelo líquido. Isto torna muito mais fácil para os mineiros localizados na superfície do local de mineração para aspirar tanto o líquido quanto as partículas minerais suspensas.

Assim, é fácil de ver que o processo de lixiviação in-situ faz da mineração um processo muito mais simples do que seria possível manualmente indo metro por metro para recuperar os sais minerais, método que apresenta seu próprio conjunto de perigos e despesas consideráveis.

----------------------------------------------------
Indicador de empresas:
Soluções de publicidade do portal Manutenção & Suprimentos
----------------------------------------------------------------------------

Uma vez que o líquido é introduzido no depósito de mineral como parte da lixiviação in-situ, a mistura resultante será aspirada para cima para a superfície onde será bombeada para um equipamento especial para que possa ser analisada e processada.

Durante a recuperação, os minerais passam por uma separação de qualquer material indesejado, que irá ser descartado.

Algumas circunstâncias também servem para incentivar o uso desse método no lugar de outros, como os fatores descobertos durante a avaliação da área onde o depósito está localizado. Por exemplo, se os depósitos não estão em uma área em que será possível a aplicação de métodos de extração subterrâneos de exploração, devido aos perigos de instabilidade estrutural de tal processo, a melhor aposta seria a lixiviação in-situ.

Outra consideração que estimularia essa técnica seria uma situação em que o depósito descoberto não é suficiente para justificar a despesa de mineração subterrânea, mas ainda digno de extração por outras formas. Além disso, alguns especialistas defendem que esta prática pode ser mais benéfica para o meio ambiente.

Autor(es):

facebook      twitter      google+

Mineração
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Mineração