Protecionismo em economiaO protecionismo é uma política econômica que se destina a beneficiar os produtores nacionais de bens e serviços. Em um país com políticas protecionistas, os produtores nacionais estão isolados da competição contra empresas estrangeiras por uma série de barreiras para importação. Eles também podem ser apoiados diretamente pelo governo com o uso de subsídios. O oposto do protecionismo é o livre comércio, em que os bens atravessam fronteiras livremente. Muitas nações apóiam o comércio livre, e preferem ver políticas econômicas protecionistas barradas por completo. Os signatários do Acordo Geral de Tarifas e Comércio (GATT) e membros da Organização Mundial de Comércio (OMC), por exemplo, são tipicamente os defensores do livre comércio.

A lógica por trás do protecionismo é que as indústrias nacionais podem sofrer quando confrontadas com importações estrangeiras, que estão disponíveis a preços mais baratos devido ao menor custo do trabalho, além de recursos naturais facilmente disponíveis, ou subvenções governamentais estrangeiras que ajudam os produtores a manter seus custos baixos. Ao impor tarifas de importação e cotas rígidas, um governo pode, teoricamente, aumentar o mercado para os produtos nacionais, essencialmente por fechar o mercado para produtores estrangeiros. Isto por sua vez, foi concebido para beneficiar a economia doméstica.

O protecionismo cria barreiras na importação de produtos.

O protecionismo cria barreiras na importação de produtos.

Quando as restrições sobre as importações são acompanhadas por subsídios do governo para as empresas nacionais e subsídios governamentais de exportação para incentivar as exportações de produtos nacionais, o protecionismo se destina a beneficiar as empresas nacionais. No entanto, este não é sempre o caso. Graças à falta de concorrência, as empresas podem ter menos interesse em desenvolver novos produtos inovadores, negligenciando invenções antigas e tecnologias. Eles também podem enfrentar barreiras à exportação, porque os países estrangeiros costumam responder ao protecionismo com suas próprias políticas protecionistas.

Os cidadãos também podem sofrer com o protecionismo por achar que os preços de bens e serviços estão inflacionados. Sem a concorrência estrangeira, as empresas podem cobrar o que quiserem por seus produtos e serviços, e isso significa que os consumidores poderão pagar preços muito superiores aos pagos por pessoas de outras regiões do mundo.
----------------------------------------------------
Indicador de empresas:
Soluções de publicidade do portal Manutenção & Suprimentos
----------------------------------------------------------------------------

Os defensores do protecionismo argumentam que ele pode ajudar a indústrias nascentes, isolando-as do mercado aberto até que estejam fortes o suficiente para funcionar de forma independente. O protecionismo também, teoricamente, protege o emprego interno, incentivando as empresas a contratar no mercado interno, e pode ser usado para promover os salários de vida e oferecer melhores benefícios para os funcionários. Os defensores apontam que o protecionismo também se aplica para pressionar os países estrangeiros a melhorar as condições para os seus trabalhadores.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia