A Arcelor, segunda maior siderúrgica mundial, espera completar as negociações para a compra de uma participação majoritária na chinesa Laiwu Steel até o final do ano, em busca de um crescimento mais acelerado fora da Europa. A Arcelor, com sede em Luxemburgo, irá investir US$ 600 milhões em duas etapas para transformar a Laiwu em uma fabricante de produtos laminados planos, usados em residências e carros, disse Guy Dolle, principal executivo da empresa, em entrevista ontem em Londres.

"Já estamos negociando há dois ou três meses. Tenho grandes esperanças que chegaremos a um acordo para, talvez em duas etapas, tomar a maioria do controle da empresa", disse Dolle.

A Arcelor expande sua produção de aço fora da Europa para captar um crescimento mais rápido na demanda siderúrgica nos mercados emergentes. A empresa planeja fazer ofertas por usinas estatais na Ucrânia e Turquia, e irá investir US$ 4 bilhões para aumentar a produção em suas instalações no Brasil e Argentina.

A Mittal Steel, maior siderúrgica mundial, planeja adquirir quase 37% da Hunan Valin Steel Tube & Wire com a aprovação do governo chinês dada em 15 de julho. O veto da China a respeito de siderúrgicas estrangeiras com participações controladoras em usinas chinesas "é apenas pró-forma", disse Dolle.

A Arcelor poderá desenvolver nichos de produtos na China como de pilastras de aço para cais e portos, acrescentou Dolle. A China é o maior produtor e consumidor mundial de aço com capacidade que poderá atingir 400 milhões de toneladas este ano, ultrapassando o consumo de 300 milhões de toneladas.

A Laiwu é a segunda maior fabricante do país de vigas de aço para construções. A empresa produziu 6,6 milhões de toneladas de aço em 2004, segundo o Instituto Internacional de Ferro e Aço , com sede em Bruxelas.

Autor(es): Gazeta Mercantil

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas