As quatro primeiras caldeiras, de um total de oito, componentes da Central Termelétrica, que está sendo construída pela Sol Coqueria Tubarão, chegaram no último dia 30, no Porto de Peiú, em Capuaba. O navio M/V EDAMGRACHT, preparado para transportar, exclusivamente, a carga de 79 volumes de equipamentos, partiu do Porto de Onsan, na Coréia do Sul, no dia 23 de agosto. Após uma viagem marítima de 39 dias, as caldeiras serão transportadas por via rodoviária até a SOL, na CST.

A construção da termelétrica está a cargo da empresa Andrade Gutierrez, responsável pela importação das caldeiras. Fornecidas pela empresa Kawasaki Heavy Industries, as caldeiras têm por função recuperar o calor dos gases originados no processo de fabricação do coque (combustível utilizado no alto forno), gerando o vapor que acionará as duas turbinas/geradores responsáveis pela produção de energia elétrica em torno de 170 MW.

:: Sol Coqueria Tubarão ::

A Sol Coqueria representa um investimento conjunto entre a CST, a Cia Siderúrgica Belgo Mineira e a SunCoke International, e faz parte do plano de expansão da CST, que elevará a sua capacidade de 5 milhões para 7,5 milhões de toneladas de aço por ano, a partir do segundo semestre de 2006.

A nova coqueria terá capacidade para produzir 1,55 milhão de toneladas/ano de coque. Os gases gerados no processo pela destilação de carvão mineral são totalmente queimados no interior dos próprios fornos. O calor proveniente desta queima será recuperado em caldeiras, gerando vapor que, por sua vez, acionará dois conjuntos de turbinas/geradores com capacidade para produzir, aproximadamente, 170 MW de energia elétrica.

Trinta e cinco por cento das obras da coqueria e da termelétrica já foram executadas. As obras geraram a contratação de cerca de 2.200 trabalhadores, com previsão de chegar a 3.000 contratações até o final do ano.

Autor(es): CST

facebook      twitter      google+

Máquinas & Equipamentos
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Máquinas & Equipamentos