A luxemburguesa Arcelor, segundo maior grupo siderúrgico mundial, adquiriu a participação (25%) que os fundos de pensão Previ (dos funcionários do Banco do Brasil) e Petros (da Petrobras) detinham na Acesita S/A - maior fabricante de aços especiais da América Latina -, localizada em Timóteo (MG). Desse modo, o grupo passa a ser o novo controlador da siderúrgica, com sua participação acionária saltando de 38,9% para 63,6%.

O valor da operação foi calculado em R$ 275 milhões, ou R$ 45 por ação, 6,4% acima da oferta inicial (R$ 259,7 milhões). A Arcelor já tinha um contrato de opção de compra desses papéis e resolveu exercê-la neste ano. Não houve, entretanto, um acordo sobre o valor entre os sócios e, na semana passada, a Arcelor elevou sua oferta para R$ 42,28.O novo valor foi definido a partir de um preço intermediário da avaliação feita pelo banco de investimentos Morgan Stanley (contratado pela Arcelor), de R$ 25,60 por ação, e a estimativa do banco Credit Suisse (que assessorou os fundos), de R$ 58,95.

A Arcelor, no entanto, foi obrigada a aceitar uma nova elevação do preço, para R$ 45 por ação, porque o gestor Tarpon, representante de um consórcio de investidores, havia proposto pagar R$ 45 para cada um desses papéis.

Autor(es): Diário do Comércio

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia