Google
Matérias, artigos e empresas relacionados a Manutenção e Suprimentos para a indústria
Esqueci minha senha

Gerdau planeja usina no leste europeu

Mais notícias relacionadas a comércio internacional:

Taiwan: mercado promissor de produtos siderúrgicos
Cenário dos laminados planos é dominado pela China Steel Corporation (CSC), única empresa com usinas ...


O que são exportações invisíveis
Também conhecidas como exportações intangíveis, incluem pagamentos, licenciamento e repatriação de lucros entre empresas.


Camex anuncia redução de imposto de importação até 2014
Máquinas e bens de informática não produzidos no Brasil


Compra da Sidenor torna a empresa um das cinco maiores fabricantes de aços especiais do mundo. Maior fabricante de aços longos das Américas, o grupo Gerdau vai expandir seu projeto de internacionalização também para o Leste Europeu e Ásia. Segundo o presidente do Grupo Gerdau, Jorge Gerdau Johannpeter, a aquisição da espanhola Sidenor, a primeira do grupo fora do continente americano, marca a nova estratégia da Gerdau de focar sua atuação em aços longos nas Américas e em aços especiais na Europa e Ásia.

Gerdau disse que o grupo estuda contar com fábricas de aços especiais no Leste Europeu e na Ásia. "A indústria de aços especiais européia tem caminhado para o Leste Europeu, poderemos acompanhar essa caminhada", disse Gerdau, que ponderou que a instalação do grupo no Leste Europeu e Ásia não deverá ocorrer no curto prazo.

Com a compra da Sidenor, o grupo Gerdau torna-se um dos cinco maiores fabricantes de aços especiais do mundo, informou Gerdau. "A Sidenor possui 8% do mercado de aços especiais na União Européia e é o terceiro ou quarto maior fabricante da região", disse. De alto valor agregado, os aços especiais são fornecidos sobretudo para a indústria de autopeças, e são usados na fabricação de suspensões, motores, transmissões, caminhões, ônibus e tratores.

Maior produtora de aços especiais, forjados e fundidos da Espanha, a Sidenor foi comprada por € 443,8 milhões. Segundo Gerdau, esse montante será quitado à vista na data de aprovação do negócio pelas autoridades européias, o que deverá acontecer entre duas e três semanas. A parte variável estimada em € 19,5 milhões será paga pela Gerdau em dois ou três anos.

O grupo Gerdau terá 40% de participação no capital social da Sidenor, o Santander outros 40% e o grupo de executivos da própria Sidenor 20%. Em 2004 a Sidenor teve uma receita líquida de € 1,1 bilhão e lucro líquido de € 74 milhões. Sua capacidade instalada é de 1,9 milhão de toneladas anuais. A parte da Gerdau corresponde a 616 mil toneladas, o que aumentará em 4% sua capacidade de produção, que hoje soma 16,4 milhões de toneladas por ano.

A Gerdau entrou no mercado de aços especiais em 1992, com a compra da Aços Finos Piratini, em Charqueadas (RS). Segundo Gerdau, com a expansão da Piratini para 500 mil toneladas, no início de 2006, somada aos 23% de participação que a empresa passará a deter na Aços Villares, controlada pela Sidenor, a Gerdau terá cerca de 50% do mercado nacional de aços especiais. A empresa compete nesse mercado com a austríaca Böhler Uddeholm (ex-Villares Metals) e a Belgo-Mineira,, da Arcelor.

A Sidenor tem 58,44% de participação na Aços Villares, com usinas em Mogi das Cruzes, Pindamonhangaba e Sorocaba (SP) e produção de 610 mil toneladas de aços longos especiais e 36 mil toneladas de cilindros em 2004. Com a transação, o Santander terá 23% da Aços Villares; 11% serão dos executivos da Sidenor e 28% do BNDES. Gerdau disse que entre 45 e 60 dias deverá acontecer uma oferta pública das ações da Aços Villares.

Gerdau sairá da presidência "A consolidação do mercado de aços especiais na Europa é um fenômeno que vem acontecendo e a Gerdau precisava participar desse processo", disse Gerdau, referindo-se a aquisição da italiana Lucchini pela russa Severstahl, que estimulou a decisão sobre a compra da Sidenor. A Sidenor pretendia investir US$ 30 milhões em suas fábricas em 2006. "Vamos reavaliar esse investimento, que poderá ser mantido ou elevado", disse Gerdau, que afirmou que deixará a presidência do grupo - cargo que ocupa desde 1983 - até o final de 2006. "Deverei permanecer no conselho de administração", disse Gerdau, que representa a quarta geração da família gaúcha fundadora do grupo.

A Sidenor possui três usinas no norte da Espanha (Reinosa, Basauri e Vitoria) e duas unidades de forja para estampa em Madri e Elgeta. Em 2004, produziu 688 mil toneladas de aços longos especiais e 25 mil de forjados e fundidos no país. A empresa forneceu 93% de suas vendas ao mercado europeu em 2004. Segundo o executivo, não está previsto no contrato alguma modificação na participação acionária da Sidenor. "Mas como o Santander é uma instituição financeira poderá buscar uma liquidez quando essa operação estiver consolidada", disse Gerdau, ressaltando que não estão previstas demissões nas unidades da Espanha. A Sidenor emprega 5,3 mil pessoas, sendo 2,3 mil na Espanha e 3 mil no Brasil.

Gerdau afirmou que o grupo continua estudando a construção de uma fábrica de aços especiais no Rio. A Gerdau tem 29 usinas e participações em outras seis.

Gazeta Mercantil

facebook      twitter      google+

* campos obrigatórios

Outras notícias relacionadas a comércio internacional:

Importação de produtos químicos da Índia

A indústria química indiana está em franca expansão. O setor proporciona hoje um grande volume de negócios dentro e fora do país. Produtos químicos ...
Pesquisa mostra recuperação da indústria chinesa

A produção industrial na China melhorou neste mês de outubro, dando sinais de que uma recuperação pode estar tomando forma depois de uma queda acentuada da segunda ...
Definição de certificado de origem

O certificado de origem é um documento importante no comércio internacional que atesta que os bens em um embarque de exportação específico são inteiramente obtidos, produzidos, fabricados ...
Diferença entre marca de serviço e marca registrada

Se você fabrica um produto ou oferece um serviço, provavelmente quer que sua empresa tenha uma identidade única para permitir que seus clientes saibam a origem do produto ou ...
Modelos de comércio internacional

Modelos de comércio internacional têm sua origem na teoria da vantagem absoluta apresentada por Adam Smith, que demonstrou que era benéfico para um país se especializar ...
Déficit em químicos alcança US$ 12,0 bi no primeiro semestre

As importações brasileiras de produtos químicos totalizaram mais de US$ 19,4 bilhões no primeiro semestre de 2012, enquanto as exportações somaram US$ 7,4 bilh ...
China pretende criar zona de conversão da moeda

A China planeja criar uma zona especial para experimentar com a convertibilidade da moeda em Shenzhen (foto), cidade em que introduziu as principais reformas econômicas há três d ...

Comércio Internacional
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Comércio Internacional


Veja na Agenda de Feiras e Congressos
Veja na Agenda de Feiras e Congressos

Google