A Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais (Usiminas), localizada em Ipatinga (MG), empresa líder do Sistema Usiminas, o maior complexo siderúrgico da América Latina, comunicou à Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) o planejamento do novo ciclo de investimentos para médio e longo prazo. O documento revela duas frentes. Uma é o crescimento do mercado local, com investimentos de US$ 1,5 bilhão em qualidade e enriquecimento do mix de produtos. A outra bandeira é a internacionalização, com parcerias e aquisições no exterior, além de um aporte de US$ 3 bilhões na construção de uma usina com capacidade de produção de 5 milhões de toneladas/ano.

Segundo o comunicado, a construção dessa usina, em lugar ainda não definido, apresenta duas condições básicas para a sua realização. Em primeiro lugar, a nova planta deverá ser construída em parcerias com outras empresas de maneira a ganhar escala e minimizar riscos. O documento pondera que as negociações com a Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) estão avançadas. Em segundo lugar, a produção deverá ter a sua demanda assegurada pelo mercado externo, por meio de laminação própria ou contratos de longo prazo com esses parceiros internacionais.

No mercado local, os investimentos contemplam avanços em qualidade, mais precisamente nos equipamentos de metalurgia secundária, em Ipatinga. Também na cidade mineira, estão previstos a construção de uma nova coqueria, orçada em cerca de US$ 200 milhões, que tornará a unidade auto-suficiente em coque, e de outra termelétrica, que aumentará sua auto-suficiência energética para mais de 50%. O comunicado a Bovespa também destacou a ampliação da capacidade de laminação de chapas grossas em 300 mil toneladas ao ano, antecipando a expansão da demanda.

Autor(es): Diário do Comércio

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia