Pioneira no desenvolvimento de softwares de CAD 3D para plataforma Windows, a SolidWorks vem registrando excelentes desempenhos no mercado brasileiro. Em 2005, o crescimento no número de licenças chegou a 50%. "Em 2006, acreditamos que vamos obter novamente um crescimento significativo", afirma Carlos Beato, gerente regional para a América Latina da SolidWorks, lembrando que o software já ocupa posição de relevo nos segmentos de máquinas, moldes, no design de bens de consumo e corte e conformação.

De acordo com o diretor, a performance da empresa no Brasil no ano passado se deve a vários fatores, com destaque para a abertura da filial em São Paulo ocorrida em 2004. Instalada com o objetivo de dar suporte à rede local de revendas, a ação refletiu positivamente junto aos usuários, que a entenderam como um maior compromisso com o mercado e os clientes brasileiros. "Aumentou a confiança em nossa marca e fomentou a nossa base", analisa Beato.

Outro fator foi o lançamento da versão 2006 do SolidWorks, em junho de 2005. Em geral, cada nova versão do software foca determinados temas. No caso da versão 2006, o tema foi a indústria de bens de consumo, trazendo inúmeras ferramentas para essa indústria. Além disso, foi implementada a integração de ferramentas de análise e validação de projeto, recurso que possibilita aos projetistas encontrar erros ou falhas ainda na fase inicial do projeto, economizando tempo e dinheiro.

O SolidWorks 2006 ganhou também em performance. Segundo o diretor, a velocidade e o desempenho no processamento são 10 vezes superior a da versão anterior. Para chegar a esse resultado, ao invés de simplesmente otimizar os recursos do programa, a equipe de desenvolvimento analisou todas as atividades dos projetistas e reescreveu o código a partir do zero.

Para Beato, o resultado dessas novidades pode ser medido em maior produtividade para os usuários. "Essas funcionalidades estão mudando de maneira significativa o modo de trabalho dos projetistas. Por exemplo, antes se o projetista estava desenhando um molde não tinha como validar se o mesmo seria ou não preenchido. Agora isso é possível, o que altera de modo significativo a velocidade e tempo de desenvolvimento", explica.

Outro exemplo se refere aos trabalhos repetitivos. Se o projeto irá utilizar grande quantidade de porcas e parafusos, o SolidWorks 2006 traz um comando que reconhece os furos onde serão encaixados porcas e parafusos e os coloca. Antes, o projetista tinha que colocar um por um. Agora, o software escolhe a melhor opção e, se o projetista quiser, posteriormente pode alterá-la. "Isto elimina os trabalhos repetitivos e cansativos", diz.

Segundo Beato, os canais de distribuição da SolidWorks já detectaram sinais - neste início de ano - que 2006 será muito positivo para a empresa. Além disso, nota-se a intensificação da migração dos usuários para as soluções 3D, como ocorre, por exemplo, na indústria moveleira. "2006 será marcado por um crescimento grande", afirma o diretor, lembrando que a empresa pretende continuar investindo no Brasil, visando maior proximidade com as revendas e os clientes finais.

Autor(es): Usinagem Brasil

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas