O Sistema Usiminas deu a largada ontem ao novo ciclo de investimentos a que se propôs junto ao mercado no final do ano passado. Assinou um contrato para uma usina térmica de US$ 100 milhões em Ipatinga (MG), com a Construções e Comércio Camargo Corrêa S/A. Segundo Rinaldo Campos Soares, presidente da empresa, a Nippon Usiminas, detentora de 18,4% do capital, ajudou no fechamento do financiamento. A licitação internacional prevê a entrega da termelétrica - com capacidade nominal de 60 megawatts (MW) de potência - em 26 meses.

Com isso, a Usiminas chegará a 53% da demanda de energia fornecida por unidades próprias. No setor siderúrgico, é uma marca importante, principalmente no caso de usinas integradas. A Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), do Grupo Votorantim, alcança atualmente porcentual próximo a 60% de produção própria de energia sobre a demanda e tem nesta infra-estrutura elemento central de competitividade na cadeia do alumínio.

Autor(es): Diário do Comércio

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia