A Arcelor Brasil - resultado da união da Companhia Siderúrgica Belgo-Mineira, CST e Vega do Sul - apresentou no ano passado uma receita liquida de vendas de R$ 13,341bilhões, o que significou um crescimento de 7% sobre R$ 12,466 bilhões (pró-forma) apurados ano anterior. Foram comercializadas 8,805 milhões t de aços longos e planos, 2% abaixo das 9,013 milhões vendidas em 2004.

Em 2005, a empresa realizou investimentos de R$ 2,4 bilhões frente a R$ 1,07 bilhão do ano anterior. Do total investido, R$ 1,949 bilhão – equivalentes a US$ 820 milhões – foi direcionado para o projeto de expansão da capacidade instalada da CST, de 5 para 7,5 milhões de t/ano, com entrada das principais unidades prevista para o quarto trimestre deste ano.

O endividamento líquido da Arcelor Brasil alcançou R$ 1,291 bilhão em 31 de dezembro de 2005, com uma redução de 29% em comparação com o R$ 1,816 bilhão de dezembro de 2004. A queda é conseqüência direta da forte geração de caixa da empresa, que vem sendo parcialmente utilizada na amortização da dívida e, em menor proporção, da apreciação do real frente ao dólar.

Autor(es): ABM - Associação Brasileira de Metalurgia e Materiais

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia