Segundo o executivo da Jinan Steel International Trade, a Baosteel terá 55% da usina e o restante será dividido entre a Vale (25%) e a Jinan (20%). A mineradora brasileira vai fornecer o minério. A capacidade inicial da pelotizadora será de 3 milhões de toneladas por ano, subindo para 9 milhões de toneladas por ano numa segunda fase. A Vale não dá detalhes do projeto, apenas confirma que está negociando com as duas companhias. Em recente entrevista à imprensa, o diretor presidente da Vale, Roger Agnelli, afirmou que estava buscando parceiros na China para uma nova unidade de pelotização. Agnelli avalia que a demanda do mercado mundial por pelotas é forte, justificando novas pelotizadoras ao redor do planeta.

A China desponta como um local atraente para o empreendimento por seu custo de investimento ser inferior ao do Brasil. A mineradora, porém, também avalia a construção de novas plantas no Espírito Santo, na região de Ubu, onde está investindo na extensão de uma linha ferroviária. Hoje, a Vale tem oito pelotizadoras no Brasil e detém 50% de uma usina no Oriente Médio.

Gerdau

A siderúrgica gaúcha Gerdau irá fornecer o aço para o maior parque eólico da América Latina e um dos maiores do mundo, localizado no município de Osório (RS), que receberá investimentos de R$ 670 milhões. A usina fornecerá cerca de 8 mil toneladas de vergalhões para a implantação do projeto energético, que contará com 75 aerogeradores.

Autor(es): IBS

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia