Google
Matérias, artigos e empresas relacionados a Manutenção e Suprimentos para a indústria
Esqueci minha senha

Indústria brasileira deve crescer 5% em 2006

Mais notícias relacionadas a economia:

Definição de otimização restrita
Na microeconomia de uma empresa, conceito de otimização é usado para maximizar a produção e ...


O que é capital de risco verde
Junto com a ênfase na natureza ecológica da operação comercial, empresas que buscam capital de ...


Definição de valor contábil
Dois dos principais fatores que entram no cálculo do valor escrito, ou contábil, são depreciação ...


A CNI - Confederação Nacional da Indústria revisou para cima as projeções para o desempenho da economia brasileira em 2006. Segundo a entidade, os sinais de recuperação da atividade econômica indicam que o PIB do País crescerá 3,7%, impulsionado por uma expansão de 5% da indústria. No final do ano passado, a estimativa era de que o PIB cresceria 3,3% e a indústria, 4,2%.

"A redução dos juros, as boas condições de crédito, o aumento do emprego e da renda dos trabalhadores aumenta o consumo, estimulando o crescimento", afirma o gerente-executivo da Unidade de Política Econômica da CNI, Flávio Castelo Branco, segundo o Informe Conjuntural publicado pela CNI, para quem, apesar da melhora no cenário, o ritmo de expansão da economia brasileira será inferior à média de 6% prevista para os países emergentes pelo FMI.

Ainda de acordo com o boletim Informe Conjuntural, ao contrário do que ocorreu nos anos anteriores, quando as exportações foram o motor da atividade, o crescimento de 2006 será sustentado pelo mercado interno. A CNI estima que o consumo das famílias aumentará 4,5%, mais do que os 3,2% previstos no final de 2005, embalado pela queda dos juros e o aumento da renda.

A redução da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), que caiu para 8,15% ao ano, em março, e a expectativa de maior dinamismo da atividade industrial estimulam os investimentos das empresas. Por isso, a CNI elevou para 8,2% a previsão de expansão dos investimentos. No final do ano passado, a estimativa era de que os investimentos teriam acréscimo de 6,5%. "As empresas estão retomando os investimentos, o que ajudará a sustentar o crescimento econômico", diz Castelo Branco.

BALANÇA COMERCIAL - A CNI também revisou as estimativas para a balança comercial brasileira. Com a expansão do consumo interno e a desvalorização do dólar frente ao real, as importações fecharão o ano em US$ 89 bilhões e as exportações atingirão US$ 130 bilhões. Assim, o saldo positivo da balança comercial somará US$ 41 bilhões. No final do ano passado, a estimativa para o superávit comercial era de US$ 43,5 bilhões, com exportações de US$ 130 bilhões e importações de US$ 86,5 bilhões.

Conforme o estudo, grande parte do incremento das vendas externas é resultado da elevação de 12,1% nos preços médios dos produtos exportados pelo Brasil no mercado internacional. Os preços do minério de ferro, os produtos metalúrgicos, os derivados do petróleo, açúcar e café subiram mais de 25% no primeiro bimestre deste ano em relação a igual período de 2005. Os ganhos de preço foram responsáveis por 63% da elevação do valor exportado entre janeiro e março de 2006.

Em contrapartida, o ritmo de expansão do volume exportado diminuiu. No primeiro trimestre, o volume cresceu 7,2% em relação ao mesmo período de 2005, quase metade dos 13,3% registrados nos mesmos meses de 2005 e 2004. "A redução do ritmo de crescimento do quantum exportado é, em grande medida, resultado da queda da rentabilidade das exportações, fruto da desvalorização do real", diz o Informe Conjuntural. A rentabilidade das exportações caiu 25,6% entre 2003 e 2005. Entre março de 2006 e de 2005, o índice de rentabilidade das vendas externas recuou 8,9%.

CNI/Sesi

facebook      twitter      google+

* campos obrigatórios

Outras notícias relacionadas a economia:

Governo incentiva indústria farmacêutica

Foi lançado na última quinta-feira (11/4) um pacote de medidas com o objetivo de impulsionar a indústria brasileira no setor de saúde. A iniciativa do Governo ...
O que é liquidação na economia

Liquidação é o processo de tomada de ativos reais de um negócio para transformá-los em dinheiro, seja para pagar dívidas ou para obter um lucro pessoal. A ...
Definição de Integração Econômica

A integração econômica é um processo em que as barreiras ao comércio são reduzidas ou eliminadas para facilitar o comércio entre as regiões ou na ...
O que é colapso econômico

Um colapso econômico é uma situação em que a economia local, regional ou nacional passa por uma crise dramática, que afeta negativamente a capacidade das pessoas que vivem ...
O que é Mercantilismo

Mercantilismo é uma das maiores teorias econômicas que diz que a riqueza de uma nação pode ser medida pelo seu pronto fornecimento de capital. O mercantilismo afirma que a ...
O que é democracia econômica

Democracia econômica é uma filosofia de socioeconomia. Socioeconomia é o estudo e a exploração da economia quando vista no contexto de valores sociais humanos, comportamentos e interações. Dentro deste ...
JPMorgan nomeia novo presidente global de mercado de capitais

JPMorgan Chase & Co. (JPM), o maior banco dos EUA em ativos, continuou insuflando a gestão em seu banco corporativo e de investimentos, nomeando Kevin Willsey como o novo presidente ...

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia


Veja na Agenda de Feiras e Congressos
Veja na Agenda de Feiras e Congressos

Google