Começou ontem, a Feira Internacional da Mecânica. O evento acontece no Pavilhão de Exposições do Parque Anhembi, em São Paulo e funciona como um grande mostruário de máquinas, equipamento e acessórios voltados para as áreas de produção, quanto para manutenção industrial.

Trabalhando com um ângulo de posição de 10º, a fresa pode operar em faixas de avanço muito altas, quando usada com profundidades de corte relativamente pequenas em área de contato radial. Segundo Gamarra, a fresa pode trabalhar com avanços de até 4 mm por faca.

As possibilidades de aplicação da fresa incluem operações de desbaste de cavidades e o faceamento, ambas com altos avanços, interpolação helicoidal em três eixos para usinagem de furos ou usinagem de bolsões e várias operações de fresamento em mergulho.

A CoroMill 210 também possui amplo bolsão de cavacos, para escoamento do material em qualquer operação. Volumes de cavacos extremamente altos podem ser removidos com taxas de avanço bem acima daquelas possíveis com o faceamento convencional, pois as forças de corte são direcionadas para o fuso mesmo quando a ferramenta opera tangencialmente.

No fresamento em mergulho, a CoroMill 210 permite mergulhos repetidos da fresa para uma profundidade pré-determinada, seguidos por retração e reposicionamento para os mergulhos seguintes removerem o metal rapidamente por meio de passes sobrepostos, cortando com a face frontal da ferramenta. É um método altamente produtivo para o fresamento interno de cavidades profundas e o fresamento externo ao longo de cantos a 90 graus profundos.

Autor(es): Usinagem Brasil

facebook      twitter      google+

Feiras & Eventos
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Feiras & Eventos