O Parlamento argentino aprovou uma lei que promove a produção de biocombustíveis através de incentivos fiscais e da obrigatoriedade de sua utilização em mistura com a gasolina e diesel. A iniciativa do Governo, aprovada no Senado, promove a produção de biodiesel a partir de óleos vegetais e animais, de bioetanol a partir de cana de açúcar e milho e de biogás a partir da fermentação de resíduos orgânicos.

O Estado vai oferecer incentivos, como a isenção ou restituição de alguns impostos aos produtores. Além disso, a lei obriga, a partir do 2010, que os combustíveis tradicionais tenham pelo menos 5% de componentes de fontes renováveis. Assim, dentro de quatro anos a Argentina deverá produzir pelo menos 600 mil toneladas de biodiesel para misturar com diesel e 160 mil toneladas de etanol para a gasolina.

É uma mudança de grande importância para promover uma atividade estratégica", disse a diretora de Agricultura da Argentina, Slory Vegenisic. "Há um interesse muito grande na atividade, tanto por parte das petrolíferas, produtoras dos combustíveis, quanto por parte da cadeia agroindustrial", afirmou. Ela observou que, além do consumo interno, "há um mercado externo para a Argentina, principalmente na União Européia".

Autor(es): Energéticas

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás