A Arcelor, a segunda maior siderúrgica mundial, concluiu a ampliação de sua participação na fabricante de aços especiais Acesita. O investimento feito pela companhia foi de US$ 205 milhões.

De acordo com comunicado divulgado ontem, a Arcelor detém agora 90,7% das ações ordinárias da Acesita, 38,1% de suas ações preferenciais e 55,7% do capital total da Acesita. Antes da operação de compra de ações, a Arcelor detinha 75,75% do capital votante da empresa mineira.

Enquanto fortalece sua posição no Brasil, a Arcelor tem um revés na Europa. O parlamento de Luxemburgo deu sua aprovação final à nova lei de aquisições, sem a controversa emenda que poderia ter impedido a oferta de compra de US$ 25 bilhões de dólares feita pela Mittal Steel pela Arcelor, que tem sede em Luxemburgo.

A lei, que estabelece estrutura legal para a oferta não-solicitada da Mittal, foi aprovada por 55 legisladores e rejeitada por nove, enquanto três se abstiveram. Fontes próximas à Mittal tinham dito anteriormente que a nova lei não impediria a apresentação da proposta da siderúrgica.

A emenda controversa, originalmente proposta pelo comitê de finanças, exigiria que companhias fizessem oferta de aquisição somente 12 meses depois do fracasso ou da retirada de uma oferta anterior.

A nova legislação força o órgão regulador da bolsa de Luxemburgo a controlar ofertas incluindo ações, feita por companhias com volume de papéis negociados em bolsa abaixo de 25%. O presidente da Mittal, Lakshmi Mittal, e sua família detêm 88% da siderúrgica.

Autor(es): Agências internacionais, de Londres e Luxemburgo

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas