O preço do etanol hidratado pago ao produtor caiu em média 16,7% nas últimas cinco semanas em São Paulo. Nos postos de combustíveis, contudo, a redução no preço ficou em apenas 1% no mesmo período, incluindo os impostos, de acordo com cálculos da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), a partir de dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

Para o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, as distribuidoras aumentaram suas margens no período em que os preços caíram para o produtor. "Enquanto o preço recebido pelo produtor caiu cerca de R$ 0,24 por litro em São Paulo ao longo de cinco semanas, o que se viu na bomba foi um recuo de apenas R$ 0,02 por litro.

Padua ressalta que a demora do repasse dos preços mais baixos é prejudicial ao bolso do consumidor, pois penaliza a competitividade do etanol em relação à gasolina. "Em dezembro, quando o etanol era vendido a preços comparáveis aos atuais nas usinas, o preço médio para o consumidor em São Paulo estava inferior a R$1,60 por litro. Isso dá bem a medida da perda," conclui Padua.

Os dados da ANP e do Cepea compilados pela Única mostram que a situação é similar em todos os Estados. No total, também nas últimas cinco semanas, os preços do etanol na bomba subiram em 21 Estados e caíram em seis. Por outro lado, a queda observada nestes Estados é ainda muito menor que a apresentada nos preços pagos ao produtor.

Autor(es): Agência Estado

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás