SÃO PAULO - As compras ganham mais fôlego na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que firma posição acima dos 69 mil pontos. Por volta das 14h10, o Ibovespa registrava valorização de 1,44%, a 69.561 pontos. O giro segue elevado, somando R$ 4,65 bilhões.

Sem destaques na agenda de indicadores, foco nas notícias corporativas. Depois de duas operações de negócio direto (compra e venda por uma mesma corretora), que se aproximaram de R$ 700 milhões, as ações da Petrobras entraram em destaque. Há pouco, o papel PN da estatal apontava alta de 2,18%, a R$ 36,48, com giro de R$ 1,58 bilhão. E o ON subia 1,75%, a R$ 40,67.

A Credit Suisse fez uma operação de mais de R$ 500 milhões com o papel e XP Corretora fez outra de R$ 192 milhões.

Ainda pela manhã, a estatal informou que as propostas do Programa de Dispêndio Global (PDG) e do Orçamento Anual de Investimentos (OAI) enviadas para o governo federal somam R$ 79,45 bilhões em 2010.

Entre as siderúrgicas, o destaque é a CSN, que ganha 4,14%, a R$ 66,55, com o terceiro maior volume da bolsa. Em reunião, o controlador da empresa, Benjamin Steinbruch, disse que o plano para os ativos de minério de ferro da companhia é montar uma empresa com vendas de 150 milhões de toneladas por ano e com capital aberto em bolsa.

"O momento é agora", disse, para vender de 20% a 25% do capital da empresa. Para o executivo, essa nova companhia, dependendo dos ativos de mineração e logística que forem incorporados, pode ter um valor de mercado em torno de R$ US$ 20 bilhões.

Também entre os maiores volumes, Vale PNA subia 0,93%, a R$ 47,65, OGX Petróleo ON tinha acréscimo de 1,48%, a R$ 17,13, e Bradesco PN se valorizava 1,73%, a R$ 32,20.

Na ponta de venda, apenas 3 dos 63 ativos listados. B2W Varejo ON caía 0,88%, a R$ 40,22, Natura ON recuava 0,23%, a R$ 34,12, e devolvendo ganhos recentes JBS ON perdia 0,62%, a R$ 9,61.

Em entrevista, o presidente da companhia, Joesley Batista, não descartou a possibilidade de vender mais ações no Brasil para financiar seu projeto de expansão.

Originalmente, o plano da empresa era abrir o capital da JBS USA nos EUA, mas a piora nas condições do mercado levou ao adiamento da oferta.

"Não fazer IPO não atrapalha os planos para a área de distribuição. Estamos estudando novas formas de financiamento. Certamente vamos decidir por outras fontes de financiamento ao longo desse tempo", disse Batista durante conferência sobre os resultados da empresa ontem.

Entre as empresas que mostraram balanço, a América Latina Logística (ALL) terminou o quarto trimestre de 2009 com prejuízo líquido consolidado de R$ 63,7 milhões, praticamente o dobro da perda verificada um ano antes, de R$ 32 milhões. As units da companhia caíam 0,88%, a R$ 16,74.

Fora do índice, o papel da Hypermarcas voltava a subir e ganhava 2,55%, a R$ 22,87. A companhia anunciou sua quarta aquisição em menos de uma semana. Depois de comprar a fabricante de fraldas Sapeka, e as empresas de produtos de higiene pessoal York e Facilit, a Hypermarcas assinou memorando visando à compra da Luper Indústria Farmacêutica por R$ 52 milhões. Esses quatro negócios já somam cerca de R$ 600 milhões.

Com elevado volume, a ação PN da Telebrás afundava 16,58%, a R$ 1,61. O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Franklin Martins, teria dito que o Plano Nacional de Banda Larga não será implementado em 2010.

As ações da companhia estavam em ebulição em meio a comentários de reativação da estatal para cuidar do projeto de banda larga. Esses comentários ganharam ainda mais força depois que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse em entrevista que a empresa seria reativada.

O papel da Ecodiesel ensaiava recuperação após dois dias de perdas acentuadas. A ação ON continua registrando estabilidade a R$ 1,13. O papel declinou 13% desde a sexta-feira, depois que quatro usinas da companhia perderam o Selo Combustível Social. Sem a tal certificação, essas unidades não podem vender biodiesel por meio dos leilões com selo organizados pela ANP.

Seguindo um tombo de 22% ontem, os recibos de ação da Laep, empresa que controla a Parmalat, declinavam outros 9,67%, para R$ 1,12. A venda dos ativos é atribuída, desde ontem, às declarações do presidente da JBS, Joesley Batista, sobre a falta de interesse da companhia em entrar no mercado de leite UHT. Durante algumas semanas, se especulava que a JBS poderia comprar ativos da Parmalat.

Ainda na chamada quinta linha, as ações ON da Inepar Telecom, empresa sem atividade operacional, seguiam com movimentação expressiva. O ativo subia 9,09%, para R$ 0,96, mas já chegou a disparar mais de 20% pela manhã. A empresa já informou que desconhece qualquer fato que justifique tais oscilações.

Ontem, a companhia apresentou comunicado informando que a Inepar S.A., seu acionista controlador, vendeu 6.274.100 ações ordinárias, correspondentes a 7,09% do capital entre os dias 15 de janeiro e 5 de março de 2010. Com isso, a fatia da Inepar na empresa caiu de 85,96%, para 78,87%.

Em Wall Street, os índices operam em terreno positivo, mas as compras são menos expressivas. O Dow Jones ganhava 0,29%, e o Nasdaq subia 0,50%.

Já no câmbio, o dólar seguem em alta contra o real apesar da maior disposição para investimentos em ativos de risco. Há pouco, o a moeda era negociada a R$ 1,792 na venda, alta de 0,22%.

(Eduardo Campos | Valor)

Autor(es): Valor

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia