O mercado nacional de gás natural deverá fechar o primeiro trimestre com um consumo próximo ao do primeiro trimestre de 2008 - antes da crise financeira internacional - quando atingiu a média diária de 36,7 milhões de metros cúbicos, disse nesta quinta-feira o gerente executivo da Petrobras, Antonio de Castro.

"No primeiro trimestre de 2008, o gás natural entregue ao mercado atingiu a media diária de 36,7 milhões de metros cúbicos [excluídos o consumo próprio da Petrobras e o volume demandado pelas térmicas]. Logo após o inicio da crise, no primeiro trimestre do ano passado, esta demanda caiu para 28,3 milhões de metros cúbicos por dia. E agora, em fevereiro, chegou a 35,6 milhões de metros cúbicos por dia - ou seja, estamos 1 milhão de metros cúbicos abaixo do período imediatamente anterior ao inicio da crise", disse.

Na avaliação do executivo da Petrobras, rapidamente o consumo voltará ao patamar anterior à crise. "É uma questão de um a dois meses para o consumo se normalizar. Isto significa que o mercado já se recuperou e vai continuar se recuperando ao longo do ano", afirmou.

Ate mesmo a importação de gás da Bolívia, que fechou 2009 com uma media diária de 23 milhões de metros cúbicos por dia, atingiu nesta quarta o volume de 27 milhões de metros cúbicos por dia. "É claro que este aumento reflete também um maior despacho destinado há demanda térmica nestes últimos dois dias, uma vez que a importação vinha na casa dos 24 a 25 milhões de metros cúbicos por dia. Neste caso também sinais de recuperação do mercado", afirmou.

O gerente executivo da Petrobras afirmou ainda que a companhia tem hoje plenas condições de atender ao crescimento da demanda por gás no país. Segundo ele, a empresa vem entregando ao mercado nacional entre 29 a 30 milhões de metros cúbicos, mas que tem plena capacidade de aumentar a oferta caso haja demanda.

Autor(es): Agência Brasil

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás