SÃO PAULO – Os 14 feriados deste ano custarão aproximadamente R$ 850 milhões para a indústria paulista, segundo um estudo realizado pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e divulgado nesta terça-feira (1).

Das 478 empresas entrevistadas, 59% disseram que interrompem suas atividades produtivas nos feriados, mas acomodam a produção em outros dias em horário normal. Já 31% interrompem as atividades e são obrigadas a fazer hora extra para recuperar a produção e apenas 10% não interrompem as atividades.

Considerando o porte da empresa, os dados indicam que 61% das pequenas e 58% das médias param as atividades em feriados e compensam a produção em horário normal. O mesmo não acontece com as grandes, pois 41% continuam trabalhando mesmo em feriados.

Sobre o custo

A pesquisa afirma ainda que os feriados interferem no custo do produto, que em média tem uma alta de 2,2% nesses períodos. Nas empresas que interrompem suas atividades e acomodam a produção em horário normal, o aumento médio é de 1,7%.

Para as que interrompem as atividades fazendo horas extras para recuperar a produção, o custo é maior: 3,2%. Já para as que não interrompem as atividades, o aumento médio fica em 2,4%.

Na divisão por porte, no entanto, não há muita diferença. O aumento médio dos custos com um dia de feriado para as pequenas é de 2,3%, para as médias, de 2,1%, e para as grandes, de 2,2%.

Perdas no Brasil

Já um levantamento divulgado pela Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) em fevereiro deste ano aponta que o Brasil perderá R$ 150,7 bilhões com os feriados em 2010, quantia equivalente a 4,4% do PIB (Produto Interno Bruto).

O valor estimado das perdas por dia parado é de R$ 13,8 bilhões, superando o registrado no ano passado (R$ 12,5 bilhões). Segundo a entidade, o País perde um PIB a cada 23 anos, devido aos feriados.

Autor(es): InfoMoney

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia