A economia brasileira cresceu 2,7% no primeiro trimestre deste ano, ante o trimestre anterior com ajuste sazonal, e 9% com relação ao mesmo período de 2009, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira.

A soma das riquezas geradas no País, o chamado Produto Interno Bruto (PIB), alcançou R$ 826,4 bilhões nos primeiros três meses do ano. No acumulado dos quatro últimos trimestres o PIB avançou 2,4%.

Na comparação com o primeiro trimestre do ano passado, a maior alta foi na Indústria (14,6%), com Serviços (5,9%) e Agropecuária (5,1%) a seguir. De acordo com o IBGE, a formação bruta de capital fixo (26%), a construção civil (14,9%) e as importações de bens e serviços (39,5%) tiveram as maiores altas desde o início da série em 1995.

A taxa de investimento no primeiro trimestre do ano foi de 18% do PIB, superior à taxa do mesmo período do ano anterior (16,3%). A taxa de poupança alcançou 15,8% do PIB. A poupança bruta atingiu R$ 130,7 bilhões contra R$ 102,5 bilhões no mesmo período do ano anterior.

O resultado mostra que a retomada da economia nacional ficou mais consistente a partir de meados de 2009, quando o Brasil superou a fase mais aguda da crise financeira internacional deflagrada em setembro de 2008.

Depois de entrar em recessão técnica em 2009, ao ficar dois trimestres seguidos no vermelho, a trajetória voltou ao terreno positivo e vem se mantendo desde então. A alta do PIB no primeiro trimestre de 2010 ameniza em parte o PIB negativo de 2009, que teve dois trimestres positivos e dois negativos, fechando em -0,2%.

A expectativa para 2010 é a de crescimento forte, com as projeções que começaram em 5% já ultrapassando 6,5% em maio deste ano. O governo pode inclusive operar uma nova alta de juros nesta semana para conter o clima de euforia na economia.

Autor(es): Redação Portal Terra

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia