A meta da Petrobras de chegar a 2014 com uma produção de 3,9 milhões de barris de petróleo equivalente (petróleo e gás natural) por dia, contra os atuais 2,7 milhões, será sustentada, basicamente, pelo desenvolvimento das áreas do pós-sal (acima da camada de sal), por meio da instalação de grandes projetos nas áreas de atuação da empresa.

A informação consta do Plano de Negócios 2010-2014 da companhia, que prevê investimentos de US$ 224 bilhões nos próximos cinco anos. Segundo a Petrobras, embora o novo plano contemple investimentos de US$ 33 bilhões para a área do pré-sal, os blocos já concedidos na região devem ter maior participação na curva de produção após 2014.

Nesse contexto, avalia a estatal, está planejada a entrada em operação de aproximadamente três sistemas de produção por ano, em média, no pós-sal, além da realização de três testes de longa duração por ano nas áreas do pré-sal.

Para a estatal, em 2014 a área do pré-sal deverá estar agregando diariamente à produção nacional cerca de 150 mil barris de petróleo equivalente por dia, enquanto a produção nacional estará em torno de 3,9 milhões. Em 2020, quando a produção saltará para 5,4 milhões de barris de óleo equivalente por dia, a contribuição do pré-sal terá saltado para 1,18 milhão de barris por dia.

A Petrobras esclarece que as metas atuais levam em consideração apenas os atuais projetos da carteira e não consideram o potencial de produção proveniente da cessão onerosa, nem de outros projetos do novo marco regulatório.

Para viabilizar essa expansão, a empresa estará investindo US$ 12,3 bilhões na infraestrutura necessária ao crescimento da produção. A estatal espera ter maior disponibilidade de sondas de perfuração para águas profundas no mercado internacional, totalizando 26 sondas até 2014 e 53 até 2020. Serão 504 barcos de apoio até 2020, contra os 254 existentes até o ano passado.

Autor(es): UOL News

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás