SÃO PAULO - Com o pré-sal, o Brasil tem em mãos a oportunidade de eliminar dois fatores que historicamente são responsáveis pela interrupção do crescimento do país, afirma o ex-ministro da Fazenda Delfim Netto. Em seminário realizado nesta quinta-feira pela Câmara Americana de Comércio (Amcham), Delfim destacou que as crises no Brasil sempre têm origem em problemas energéticos ou no déficit em conta corrente.

"O pré-sal pode resolver simultaneamente esses dois problemas", afirmou o ex-ministro, destacando que somente agora o Brasil começa a ter autonomia no que diz respeito a petróleo. Delfim ainda criticou os economistas que defendem uma expansão mais forte da economia. "Eu acho que o país não precisa de um crescimento muito superior a 5% ou 6% ao ano. Quando nós crescíamos 7,5% ao ano, a população crescia 2,5%. Ou seja, o Produto Interno Bruto (PIB) crescia 4%. Hoje, se o país crescer 5% ou 6%, com a população crescendo 0,8% ao ano, voltamos a ter um crescimento robusto de 4% ao ano, como tivemos no passado", argumentou.

Em meio à discussão sobre a relevância das reformas macro e microeconômicas, Delfim se posicionou dizendo que uma não existe sem a outra. "Não há crescimento sem Estado. É o Estado que garante o funcionamento adequado de todo o sistema", pontuou, acrescentando que os problemas de competitividade do Brasil se concentram no setor público. "A questão é induzir o Estado a melhorias. Isso se resolve nas urnas", afirmou.

(Francine De Lorenzo | Valor)

Autor(es): Valor Econômico

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás