O INCC-M (Índice Nacional de Custo da Construção - M) registrou, em junho, variação de 1,77%, acima do resultado do mês anterior, de 0,93%, de acordo com a divulgação dos dados da FGV (Fundação Getúlio Vargas), nesta segunda-feira.

No ano, o índice acumula alta de 5,29% e, nos últimos 12 meses, a taxa registrada é de 6,31%. O INCC é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.

Cinco capitais apresentaram aceleração: Salvador, Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo. Em sentido oposto, Recife e Porto Alegre tiveram desaceleração.

O índice relativo a materiais, equipamentos e serviços registrou variação de 1,02%, ante 0,48% no mês anterior. No índice referente a mão de obra, houve alta de 2,59%, ante elevação de 1,41% no mês de maio.

No grupo materiais, equipamentos e serviços, o índice correspondente a materiais e equipamentos subiu de 0,51% em maio para alta de 1,04%. Os quatro subgrupos em que se distribuem os materiais e equipamentos usados na construção apresentaram aceleração, com destaque para materiais para estrutura, cuja taxa passou de 0,62% para 1,60%.

A parcela relativa a serviços passou de uma taxa de 0,36%, em maio, para 0,92%, em junho, com destaque para a aceleração do subgrupo serviços técnicos, cuja taxa passou de 0,71% para 1,57%.

Data Base

O grupo mão de obra registrou variação de 2,59%, ante elevação de 1,41% no período anterior. Em Brasília, este grupo registrou variação de 4,96%, por conta de reajustes salariais ocorridos em função da data base. No mês anterior, não houve impacto. Em São Paulo, também em razão de data base, a taxa passou de 2,93%, em maio, para 4,69%, em junho.

Autor(es): Folha Online

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia