A Usiminas está comunicando clientes sobre uma segunda rodada de aumento de preços em 2010 para todos os seus produtos de aço no mercado interno, disse uma fonte nesta quinta-feira.

Mais cedo nesta quinta-feira, relatório da corretora Bradesco, que cita informações de distribuidores de aço, afirmou que "uma siderúrgica aparentemente conduziu uma segunda rodada de aumentos de preços na quarta-feira (...) de 10,75% para todos os produtos".

Para a corretora, o fato de uma siderúrgica já ter iniciado uma segunda rodada de aumentos no Brasil é importante, pois "estávamos preocupados que uma segunda rodada poderia nem acontecer". No relatório, a corretoa estima que o tamanho do reajuste é melhor do que o esperado.

"Acreditamos que uma segunda rodada de aumento de preços pode permitir às siderúrgicas, especialmente a Usiminas, recuperar margens perdidas no ano passado", afirmaram os analistas Raphael Biderman e Gina Montone no relatório.

A empresa está aplicando um reajuste de 10,75%, depois de ter feito elevação de 11% a 15% em abril. Às 13h10, as ações preferenciais da Usiminas subiam 1,80%, cotadas a R$ 50,21. Enquanto isso, o Ibovespa marcava queda de 1,33%.

Em maio, o vice-presidente de Negócios da Usiminas, Sérgio Leite, havia afirmado em teleconferência que a empresa via espaço para novo aumento de preços no terceiro trimestre.

Na ocasião, o executivo disse também que a siderúrgica estava atenta a oportunidades criadas pelo reaquecimento da economia brasileira, que impulsionou a demanda interna por aço após a forte crise vivida pela setor em 2009.

Leite havia comentado, ainda, que havia espaço para alta de preços de aço entre 10% e 15% no terceiro trimestre, diante do aumento de custos com minério de ferro.

O reajuste de produtos siderúrgicos pela Usiminas acontece em meio a ameaças do governo de reduzir o imposto sobre o aço importado caso as produtoras locais elevem os preços.

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) acelerou fortemente na leitura inicial de junho, com alta de 2,21% na primeira prévia, pressionada pela alta do minério de ferro.

O presidente da mineradora Vale, Roger Agnelli, alertou em 11 de junho sobre os riscos de uma eventual diminuição da tarifa de importação do aço pelo governo como forma de combater a inflação e rebateu críticas de que o aumento do minério esteja contribuindo para a alta dos preços.

Eles recomendaram a compra das ações da Usiminas, com preço-alvo de R$ 82,4 para as preferenciais. Procurada, a assessoria de imprensa da Usiminas não comentou imediatamente o assunto.

Autor(es): Redação Portal Terra

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas