A CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) divulgou nesta terça-feira (10) um crescimento de 167% em seu lucro líquido do segundo trimestre, na comparação com igual período do ano passado, para R$ 894 milhões. O resultado ficou acima do previsto por analistas e foi beneficiado pelo forte aumento das receitas de mineração.

A previsão média de cinco analistas consultados pela Reuters era de um lucro de R$ 824 milhões para a empresa entre abril e junho. A CSN registrou receita líquida consolidada de R$ 3,9 bilhões de abril a junho, contra R$ 2,5 bilhões um ano antes.

Do faturamento total no segundo trimestre deste ano, cerca de R$ 850 milhões vieram da venda de minério de ferro, mais que o dobro dos quase R$ 374 milhões nos três meses até junho de 2009.

segundo a CSN, as receitas líquidas de mineração no segundo trimestre de 2010 foram fortemente influenciadas pelos preços mais altos praticados e pelo crescimento de 15,9% nas vendas de minério de ferro ao exterior em relação ao primeiro trimestre.

A empresa informou que o preço do minério no mercado à vista atingiu US$ 136 a tonelada no fim de julho, "mostrando uma recuperação" em relação aos valores praticados nas semanas anteriores.

A CSN acredita que a China importará adiante mais minério, principalmente do Brasil e da Austrália, "considerando a baixa qualidade e ineficiência em termos de custos da produção" chinesa do insumo.

A produção de aço bruto, negócio pelo qual a CSN é mais conhecida, totalizou 1,2 milhão de toneladas, alta de 38% na comparação anual. As vendas de aço foram de 1,3 milhão de toneladas, ou 37% acima do período de abril a junho de 2009. A maioria do aço foi comercializada no mercado interno, onde as margens são melhores.

A comercialização de produtos acabados de minério de ferro no segundo trimestre por CSN e a parceira Namisa, excluindo consumo próprio, atingiu 6,2 milhões de toneladas, sendo 5,9 milhões destinadas a exportações. Um ano antes, a venda de minério havia sido de 4 milhões de toneladas.

O lucro antes dos pagamentos de juros, impostos e outros encargos foi de R$ 1,8 bilhão de abril a junho, ante R$ 728 milhões em igual período de 2009. A empresa encerrou o primeiro semestre com 9,7 bilhões de reais em caixa.

Fonte: R7

Autor(es): Reuters

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia