Profissionais do desenvolvimento por excelência, engenheiros se reúnem em São Paulo, entre os dias 17 e 19 de novembro, para propor iniciativas sustentáveis no contexto do aquecimento econômico brasileiro. Com vistas à realização de grandes obras de infraestrutura para a Copa de 2014 e Olimpíadas 2016, além da exploração das camadas pré-sal, o desafio da categoria é ainda maior no sentido de considerar aspectos sustentáveis em seus projetos. A análise e discussão desse cenário é o objetivo do IV Eco São Paulo 2010, ciclo de debates promovido anualmente pelo Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo (SEESP), em parceria com a Federação Nacional dos Engenheiros (FNE).

Tendo como base o documento “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento”, elaborado por especialistas de diversas áreas da engenharia nacional, novas soluções serão discutidas e apresentadas. O centro da discussão é ampliar o crescimento econômico do país sem comprometer os recursos para as gerações futuras.

“Como percebemos, cada vez mais o tema sustentabilidade ambiental vem sendo sedimentado na cultura brasileira. Foi tema dos presidenciáveis e é tema no mundo inteiro. E o mais importante é mostrar que crescimento e preservação ambiental não são ideias antagônicas. A engenharia pode ajudar muito na busca desse ideal sustentável”, garante o presidente da Federação Nacional dos Engenheiros, Murilo Pinheiro.

Veículos Elétricos

A tecnologia de veículos elétricos está se desenvolvendo a passos largos. Já existem modelos sendo comercializados e a tendência é que esse número aumente ainda mais com melhoria da tecnologia e a massificação de seu consumo. No entanto, os principais gargalos para que os veículos elétricos estejam cada vez mais presentes nas ruas das cidades são os ainda altos custos de produção e a criação de infraestrutura que atenda às novas formas de abastecimento.

“Atualmente, o custo de um veículo elétrico, sem impostos, é o dobro de um veículo convencional. A justificativa disso é o custo da bateria. A bateria é o principal desafio técnico a ser vencido”, elucida Celso Novais, da Coordenação-Geral Brasileira do Projeto Veículo Elétrico da Usina de Itaipu.

Nanotecnologia na Agricultura

Em um país em que o agronegócio tem grande importância como o Brasil, a nanotecnologia pode ser um grande diferencial se aplicado devidamente à agricultura. No entanto, os recursos para pesquisa e desenvolvimento nessa área ainda são recentes e escassos. Um dos benefícios da aplicação da nanotecnologia na agricultura é o aumento da produção em uma mesma área cultivada, sem a necessidade de expansão territorial. Além da eficiência no plantio, a tecnologia pode ajudar na melhoria dos produtos agrícolas.

Na Embrapa, por exemplo, são desenvolvidos revestimentos comestíveis e embalagens inteligentes que são aplicados em frutos e hortaliças diretamente, aumentando o seu tempo de vida e garantindo qualidade e higiene. “Esses benefícios serão observados do ponto de vista econômico, social e ambiental, o que certamente terá reflexo na qualidade de vida da população, só basta esforço e interesse no assunto”, explica Cauê de Oliveira, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Sobre o Eco-SP - Resultado do Eco-Vale, realizado por quatro anos na cidade de Taubaté para discutir as questões ambientais da região do Vale do Paraíba, o Eco-SP firma-se como importante fórum de debate na busca de soluções para uma sociedade sustentável e justa.

Serviço

IV Eco São Paulo

Data: 17 a 19 de novembro de 2009

Local: Novotel São Paulo Center Norte

(Av. Zaki Narchi, 500 – Vila Gulherme – São Paulo)

Inscrições e informações:

www.ecovale-seesp.com.br

Autor(es): Assessoria de Imprensa

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia