O Brasil se destaca mundialmente no processo de montagem de placas eletrônicas. A soldagem de componentes, majoritariamente automatizado, requer uma série de cuidados que garanta a qualidade das conexões e a repetibilidade dos processos.

A Air Liquide, líder mundial em gases para indústria, saúde e meio ambiente, atua há anos no segmento fornecendo uma série de soluções em aplicação de gases a todos os tipos de soldagem em eletrônica. Agora, traz ao País uma solução inovadora para o sistema wave.

Segundo Sérgio Munhoz, gerente nacional de tecnologia e pesquisa da Air Liquide Brasil, a aplicação de nitrogênio na soldagem de placas eletrônicas é fundamental para evitar uma série de problemas. O principal é a oxidação, decorrente das altas temperaturas envolvidas no processo. “Criamos uma forma de controlar a atmosfera para a realização da solda, em que o oxigênio é substituído pelo nitrogênio. Dessa forma, mesmo a 250ºC, não há oxidação”, explica.

A aplicação do nitrogênio impede a formação de bolhas no interior do ponto de solda e a ocorrência de trincas, fatores que afetam a condutividade. Outra vantagem do uso do nitrogênio é que, por ser mais leve que o ar, sua presença reduz a pressão atmosférica sobre o metal, praticamente eliminando a ocorrência de escorrimentos, que podem resultar em conexões indesejadas, em gotículas e outras deformidades no ponto, os chamados “splashs”.

“Todas essas falhas decorrem da presença de oxigênio e de umidade no ambiente em que a solda é realizada”, afirma Munhoz. O executivo explica que o nitrogênio pode eliminar essas falhas ao aumentar a tensão superficial da solda, favorecendo sua concentração em uma área menor que a que ocuparia em outras circunstâncias.

Economia

Equivocadamente visto por alguns como um gasto extra na produção, o nitrogênio é uma solução econômica, já que reduz em 80% a formação de borra, em 50% o uso de fluxo (agente usado na solda) e 70% a ocorrência de defeitos. Outra vantagem é que a necessidade de limpeza das máquinas é reduzida de três para uma vez por dia. “A ocorrência de borras cai significativamente, reduzindo a necessidade de parar a produção. O nitrogênio permite que se produza mais e melhor com menos gastos”, afirma Munhoz.

“Além da condutividade, a aparência de soldas feitas sob uma atmosfera de nitrogênio é muito melhor, o que é um ótimo indicativo da repetibilidade e homogeneidade do processo, fatores fundamentais para a indústria, e que evidenciam o domínio da técnica de soldagem”, diz.

Essas aplicações de gases são bastante difundidas entre empresas que produzem produtos de alto valor agregado. Porém, mesmo esses fabricantes têm dificuldade em aplicar o nitrogênio em soldagens wave, sistema em que a placa desliza sobre uma onda de solder aquecido.

“O fundamental é expulsar o oxigênio e a umidade do ambiente, o que é muito difícil, já que todo o processo de solda é realizado em sistema aberto, exposto a atmosfera e com forte sucção de ar do ambiente para garantir da segurança na operação”, explica Munhoz.

A solução que a Air Liquide traz ao Brasil é chamada de linha Alix. Segundo Munhoz, esse sistema utiliza canaletas de titânio com consistência porosa, uma invenção patenteada pela companhia, capaz de reduzir de a presença de oxigênio no local onde a solda é feita de 2 mil a 3 mil partes por milhão para 10 a 30 partes por milhão. “O sistema de canaletas permite a vazão uniforme do gás, garantindo a geração de uma atmosfera protetora com concentrações de nitrogênio iguais em toda a superfície do recipiente”, afirma.

2 mil a 3 PPM para 10 a 30 PPM.

Outra inovação do sistema é que ele proporciona a aplicação do gás a 250ºC, mantendo a temperatura necessária para a realização da solda. “É uma inovação importante, já que a aplicação do nitrogênio em soldagem wave sempre é com o gás frio, o que compromete o processo ao reduzir a temperatura no ponto da solda”, conclui.

A Air Liquide é o líder mundial em gases para a indústria, saúde e meio ambiente, e está presente em mais de 80 países com 43.600 funcionários. Oxigênio, nitrogênio, hidrogênio e gases raros estão no centro das atividades da Air Liquide desde sua criação em 1902. Usando essas moléculas, a Air Liquide reinventa continuamente seus negócios, prevendo as necessidades dos mercados atuais e futuros. O Grupo inova para possibilitar o progresso, atingir um crescimento dinâmico e um desempenho consistente.

Tecnologias inovadoras que controlam emissões de poluentes, menor uso de energia pela indústria, recuperação e reutilização de recursos naturais ou desenvolvimento das energias do futuro, como hidrogênio, biocombustíveis ou energia fotovoltaica... Oxigênio para hospitais, homecare, combate a infecções hospitalares... A Air Liquide combina muitos produtos e tecnologias para desenvolver aplicações e serviços úteis não apenas para seus clientes, mas também para a sociedade.

Um parceiro para longo prazo, a Air Liquide conta com o comprometimento dos funcionários, a confiança dos clientes e o apoio dos acionistas para perseverar em sua visão de crescimento sustentável e competitivo. A diversidade das equipes da Air Liquide, negócios, mercados e presença geográfica proporcionam uma base sólida e sustentável para seu desenvolvimento e fortalece sua capacidade de ultrapassar seus próprios limites, conquistar novas regiões e estruturar seu futuro.

A Air Liquide explora o melhor que o ar pode oferecer para preservar a vida, permanecendo fiel à sua abordagem de desenvolvimento sustentável. Em 2010, as receitas do Grupo somaram €13.5 bilhões, dos quais quase 80% foram ganhos fora da França. A Air Liquide está relacionada na bolsa de valores Euronext de Paris (seção A) e é membro dos índices CAC 40 e Dow Jones Euro Stoxx 50.

Autor(es): Assessoria de Imprensa

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas