A Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto (ABCIC) realiza no dia 12 de agosto, das 9h às 12h30, durante a Construction Expo – Feira Internacional de Soluções para Obras & Infraestrutura, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo, um Seminário Internacional sobre “Concreto, uma paixão nacional: solução, desempenho e sustentabilidade na construção civil”. O intuito é apresentar uma visão sistêmica sobre a sustentabilidade no universo do concreto, bem como dados e soluções para a construção de empreendimentos sustentáveis, abordando questões como durabilidade e cases de sistemas industrializados de concreto para a construção habitacional e de obras especiais.

Dentre os palestrantes, há nomes como o engenheiro civil Eduardo Barros Millen, presidente da ABECE (Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural) e sócio-diretor da Zamarion e Millen Consultores. Com patrocínio da T&A Pré-Fabricados, a palestra apresentará ao público um case sobre o Galpão da Área 5 do Estaleiro Atlântico Sul.

Importante projeto para o desenvolvimento da região Nordeste, o Estaleiro Atlântico Sul ocupa uma posição estratégica no Complexo Portuário e Industrial de SUAPE, em Pernambuco, tendo como sócios os grupos Camargo Corrêa e Queiroz Galvão, a sul-coreana Samsung Heavy Industries (SHI) e a empresa PJMR.

Seu projeto é considerado um marco na revitalização da indústria naval do Brasil. O empreendimento possui área de, aproximadamente, 130 mil m² e um dique seco com 400 m de extensão, 73 m de largura e 12 m de profundidade, sendo servido por dois pórticos Goliaths de 1.500 toneladas/cada, dois guindastes de 50 toneladas/cada e dois de 35 toneladas/cada.

A estrutura foi executada com o sistema de pré-fabricados de concreto pela T&A, hoje uma das maiores empresas do País no segmento, com fábricas em São Paulo, na Bahia, em Pernambuco e no Ceará, e capacidade de produção inicial de 20 mil m³ de concreto ao mês. Para atender aos grandes vãos e cargas elevadíssimas da obra, a empresa desenvolveu um projeto específico. “Ampliamos nossa linha de produção na indústria pernambucana para que pudéssemos fabricar peças especiais com comprimentos de 36 metros e 63 toneladas”, explica o diretor Vitor Almeida.

A logística de transporte e montagem das peças também foi planejada com todo cuidado. Para fazer chegar e montar no estaleiro, as cerca de 250 peças de concreto pré-fabricadas foram utilizadas carretas especiais, bem como guindastes de grande porte da Saraiva, com capacidade de 225 toneladas. A montagem foi Just in Time.

As fundações, por sua vez, foram executadas no sistema de hélice contínua monitorada em diversos diâmetros, de acordo com a carga específica de cada setor da obra. Detalhe para as fundações do dique seco, onde foi usado “estacão”, com maiores diâmetros.

Devido à grande exposição da estrutura à maresia, as peças de concreto foram produzidas com fck de 50 Mpa, com baixo fator água-cimento, e alto desempenho, o que dispensou o uso de qualquer tratamento contra corrosão marítima.

Autor(es): Assessoria de Imprensa

facebook      twitter      google+

Feiras & Eventos
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Feiras & Eventos