melhora do cenário externo favorece fundos de açõesApós seis meses com retorno negativo, a melhora da economia no cenário externo, ocorrida na segunda quinzena de outubro, contribuiu para que o Ibovespa registrasse alta de 11,49%, a maior desde abril de 2009.

Este comportamento se refletiu diretamente no resultado dos fundos de ações, fazendo com que todos os tipos da categoria fechassem o mês com retorno positivo. Além dos tipos Ibovespa Indexado e IBrX Indexado com rentabilidades de 11,13% e 8,86%, respectivamente, o tipo IBrX Ativo também merece destaque com alta de 8,77%.

Apesar do bom desempenho em outubro, com exceção dos Fundos Fechados de Ações, a rentabilidade acumulada no ano e em 12 meses dos demais fundos da categoria ainda é negativa. No ano, os tipos Renda Fixa Índices e Multimercados Juros e Moedas permanecem em destaque com altas de 11,95% e 10,76%. Nos últimos 12 meses, o melhor desempenho é do tipo Juros e Moedas, com retorno de 12,87%, seguido pelo tipo Renda Fixa com 12,72%. Vale destacar ainda, que o tipo Renda Fixa Índices, criado em dezembro de 2010, portanto há apenas 11 meses, já acumula rentabilidade de 14,03%.

Adequação

Em outubro, a indústria registrou resgate líquido de R$ 11 bilhões. Com esse resultado, a captação líquida acumulada em 2011 recuou para R$ 67,4 bilhões e o PL da indústria alcançou R$ 1,856 trilhão, já considerando a exclusão da base de dados de R$ 20,1 bilhões do FI-FGTS, no último dia 31 de outubro. É importante destacar que esse ajuste não impactou o resgate líquido da indústria, pois o FI FGTS, da Caixa Econômica Federal, foi excluído de toda a base de dados.

A iniciativa de excluir o FI FGTS faz parte dos esforços para aprimoramento constante dos dados e estatísticas divulgados pela ANBIMA. A Associação optou ainda por ajustar toda a base de dados, excluindo as informações sobre o FI FGTS da série histórica inteira. Dessa forma, os números atuais e retroativos de patrimônio líquido, captação líquida e rentabilidade poderão ser comparados normalmente.

O fundo em questão estava sendo classificado como FIP por ter, a princípio, política e práticas de investimento similares às destes fundos. Porém, conclui-se que a exclusão seria pertinente na medida em que este é um fundo único no mercado, que conta inclusive com regulamentação específica (Lei 11.491/2008) e só pode ser gerido pela Caixa.

Como os dados da ANBIMA também geram os rankings, que evidenciam a competitividade entre os participantes da indústria, a Associação considerou mais adequado não somar PL desse ao dos outros fundos.

O Boletim ANBIMA de Fundos de Investimento de novembro está disponível no site da ANBIMA.

Autor(es): Assessoria de Imprensa

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia