As vendas reais da indústria do Rio de Janeiro apresentaram em outubro aumento de 14,71% em comparação com o mesmo mês no ano passado. Nos primeiros dez meses do ano, o resultado também foi positivo: crescimento de 11,49% em relação ao mesmo período de 2010. Na comparação com setembro deste ano, no entanto, houve retração.

As vendas recuaram 1,62%, caracterizando um quadro de desaceleração da indústria fluminense, resultado dos desdobramentos da crise da economia mundial. Os dados são do estudo Indicadores Industriais de outubro, divulgados nesta segunda-feira, dia 5 de dezembro, pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN). 

Dos 16 setores da indústria pesquisados, dez registraram queda. Os mais expressivos ocorreram em Máquinas e Equipamentos (-47,50%), em função da conclusão e entrega de pedidos de grande porte no mês anterior, e Outros equipamentos de transporte (-34,56%), devido ao menor faturamento no mês das encomendas com longo prazo de produção. A queda foi menos acentuada em setores como Alimentos e Bebidas (-6,53%); Têxtil (-5,25%) e Vestuário (-6,97).

Por outro lado, em decorrência de fatores como aumento de pedidos, detectou-se alta em seis setores: Máquinas, aparelhos e material elétrico (+16,68%), Metalurgia básica (+10,24%), Veículos automotores (+6,24%), Edição e impressão (+5,64%), Refino, combustível nuclear e álcool (+5,56%) e Papel e celulose (+2,97%).

O ritmo da produção segue em desaceleração. Em outubro, as horas trabalhadas apresentaram recuo de 2,9% em relação ao mês anterior e de 2,5% frente ao mesmo mês de 2010. De janeiro a outubro, o ritmo de produção registrou crescimento de 2,7%, resultado 0,6 ponto percentual inferior ao verificado em setembro.

Apesar do recuo dos indicadores de vendas e de horas trabalhadas, o mercado de trabalho industrial fluminense contratou mais em outubro: crescimento de 0,3% e 5,2% na comparação com outubro do ano passado. Com esses resultados, o mercado de trabalho acumulou crescimento de 6,7% em 2011. Em linha com esse movimento, a massa salarial avançou 2,9% frente a setembro, 8,2% na comparação com outubro de 2010 e 5,8% no acumulado deste ano.

Autor(es): Assessoria de Imprensa

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia