Queda do PIB faz CNI rever suas projeções para a economiaO crescimento zero do PIB no terceiro trimestre em relação ao trimestre anterior, com queda de 0,9% no PIB industrial, segundo o IBGE, levará a Confederação Nacional da Indústria (CNI) a rever suas projeções para o crescimento em 2011, atualmente de 2,2% para a indústria e de 3,4% para o PIB.

O quadro revelado pelo IBGE nesta terça-feira, 06.12, explicita as dificuldades pelas quais passa o setor industrial. A desaceleração da economia já era esperada pelo comportamento de outros indicadores, mas é preocupante a intensidade da queda de 1,4% na indústria de transformação.

Tal recuo reflete a perda de competitividade crescente da indústria, provocada pela valorização cambial e pela falta de avanços substantivos nos custos de produção que atenuem essa desvantagem. Mostra também que os efeitos da crise internacional continuam atingindo a manufatura brasileira.Queda do PIB faz CNI rever projeções para a economia

O cenário de agravamento das perspectivas da economia global e a dificuldade de reação da indústria explicitada pelos dados do IBGE indicam que o PIB crescerá ainda menos, este ano, do que o anteriormente esperado.

Mais uma preocupação é o recuo do consumo, que tem sido o motor do crescimento, inclusive do consumo do governo. O PIB só não foi negativo no terceiro trimestre pela contribuição das exportações de commodities.

O quadro atual é de alerta para o setor industrial. Se a piora da conjuntura externa dificulta ainda mais a já acirrada competição para o exportador, a pressão dos produtos importados, paralelamente, reduz a competitividade da indústria brasileira. Tudo isso reforça a urgência de ações mais eficazes para retomar o crescimento.

Autor(es): CNI

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia