A Petrobras, a Petrobras Biocombustível, a Guarani e a Petróleos de Moçambique (Petromoc) assinaram hoje, em Maputo, capital de Moçambique, um protocolo de intenções para estudar a viabilidade para produção e comercialização de etanol naquele país.

A Petrobras Biocombustível, por meio da sua parceria com a Tereos Internacional na Guarani, é sócia de uma usina de produção de açúcar em Moçambique, a Companhia de Sena, com capacidade de moagem de 1,2 milhão de toneladas de cana-de-açúcar.

O estudo busca analisar a possibilidade de investimentos para produção também de etanol com base no melaço atualmente produzido nesta unidade. A expectativa é atender a um novo mercado que deverá se abrir no país africano com a introdução da mistura obrigatória de 10% de etanol na gasolina (E10).

Essa medida terá impactos positivos na redução da dependência de Moçambique por combustíveis importados, contribuindo para garantir segurança de energia no país. Além disso, a produção de etanol poderá aproveitar as características naturais para promover o crescimento da economia de forma sustentável, gerando empregos nas regiões mais carentes do país.

O estudo alia a experiência da Petrobras na tecnologia da mistura de etanol à gasolina, bem como na comercialização e logística de derivados de petróleo e biocombustíveis, com o conhecimento da Petrobras Biocombustível e da Guarani na produção de etanol.

O protocolo também está alinhado aos planos do governo de Moçambique para implementação de sua política e estratégias de biocombustíveis, e da Petromoc para o desenvolvimento de um programa de mistura de etanol à gasolina, atuando na produção, comercialização e distribuição de etanol.

Autor(es): Petrobras

facebook      twitter      google+

Energia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Energia