Google
Matérias, artigos e empresas relacionados a Manutenção e Suprimentos para a indústria
Esqueci minha senha

Ambev indenizará empregado por alergia de contato

Depois de exercer a atividade por um ano e meio, o ex-operador de máquinas percebeu reações alérgicas nas mãos, braços e pernas, com descamação e formação de bolhas.

Mais notícias relacionadas a segurança do trabalho:

Conceito de segurança intrínseca
Equipamento deve ser incapaz de liberar energia perto de materiais perigosos.


O que é um coletor de pó
Equipamento é fundamental para proteger trabalhadores dos efeitos nocivos da poeira eliminada com o trabalho ...


Princípios de segurança industrial
Apesar da pressão imposta pela demanda ou por gerentes e diretores, regulamentos de segurança nunca ...


A Companhia de Bebidas da Américas (Ambev) deverá indenizar por danos morais um ex-operador de máquinas que desenvolveu dermatite alérgica de contato durante o período em que trabalhou na empresa fazendo manutenção nas máquinas de engarrafamento de bebidas.

A decisão tomada pela Sexta Turma do Tribunal Superior do Trabalho reformou acórdão do Tribunal Regional do Trabalho da 20ª Região (SE) contrário ao pagamento. Na decisão o relator, ministro Aloysio Corrêa da Veiga observou que, embora a decisão regional isente a empresa de dolo ou culpa, ficou evidente que o empregado, de fato, mantinha contado com os produtos químicos causadores das reações alérgicas.

Para o relator, o argumento utilizado pelo Regional para afastar a culpa da empresa – o de que, conforme laudo pericial, a alergia não incapacitava o operador para o trabalho, desde que ele não tivesse contato com os produtos causadores da reação alérgica – era "irrelevante", pois havia comprovação de que o equipamento fornecido pela empresa não protegeu de fato o empregado. Sua atividade era a lubrificação e a manutenção das máquinas envasadoras de líquidos na empresa. Durante o procedimento, segundo descreveu na inicial, tinha contato direto com diversas substâncias nocivas à saúde – óleos, graxas, cola e produtos químicos de limpeza.

Depois de exercer a atividade por um ano e meio, percebeu reações alérgicas nas mãos, braços e pernas, com descamação e formação de bolhas. Após consulta médica com um dermatologista, ficou constatada a dermatite alérgica de contato causada por borracha, óleo e desinfetantes, e a empresa foi recomendada a afastá-lo daquela atividade e readaptá-lo a em outra função.

Segundo o empregado, a recomendação não foi seguida pela empresa, que, logo após a sua melhora, o colocou para exercer a mesma atividade anterior – e as mesmas reações apareceram já no segundo dia de trabalho. Por ter a sua situação agravada, o trabalhador foi, então, afastado da empresa e passou a receber auxílio-doença pelo INSS. Ainda segundo a inicial, um laudo expedido por técnico de segurança do trabalho atestou que o ambiente de trabalho era insalubre e as luvas fornecidas não eram apropriadas e rasgavam com frequência por causa dos cacos de vidro retirados durante a limpeza do maquinário.

A empresa, na contestação, disse que não era responsável pela alergia, e que não havia, de sua parte, qualquer tipo conduta ilícita ou culposa. Segundo a Ambev, em mais de dez anos de atuação no local não foi demonstrado nenhum caso de reação alérgica em seus empregados pelo contato com os produtos utilizados em sua linha de produção.

A Vara do Trabalho de Estância (SE) fixou a indenização por dano moral em R$ 10 mil. O Regional, com o entendimento de que a empresa não teria violado as normas de segurança do trabalho e, portanto, não tinha culpa, absolveu-a do pagamento da indenização.

Para a Sexta Turma, no julgamento do recurso do empregado, uma vez comprovado por laudo pericial que a doença foi desencadeada pelas atividades desenvolvidas, e diante das condições precárias de trabalho, a decisão regional deveria ser reformada. Por unanimidade, foi restabelecida a sentença que concedeu a indenização por dano moral ao empregado.

Assessoria de Imprensa

facebook      twitter      google+

* campos obrigatórios

Outras notícias relacionadas a segurança do trabalho:

Segurança na operação de guindastes

Guindastes são equipamentos de diferentes tamanhos e formatos usados para levantar cargas pesadas em diversos locais de trabalho. Essas máquinas são eficientes, rentáveis e bastante seguras ...
Foxconn admite trabalho infantil em suas fábricas

A fabricante de eletrônicos Foxconn, responsável pela montagem eletroeletrônicos para Sony, Apple e Dell, admitiu que contratou trabalhadores menores de idade em uma fábrica na China ...
Usabilidade e ergonomia

Em ergonomia, o conceito de usabilidade envolve fatores humanos e se concentra em fazer as coisas utilizáveis da melhor maneira possível. Isso pode abranger fazer as coisas acess ...
Pesquisa revela falta de confiança no monitoramento de gás

Um levantamento feito no setor industrial no Reino Unido apontou uma série de preocupações em relação aos sistemas de detecção de corrente de gás. A ...
Saiba mais sobre a norma ISO 14644

A Organização Internacional para Padronização (International Standard Organization ou ISO) desenvolve padrões que ajudam os países a atingir objetivos comuns relacionados a segurança, meio ambiente ...
Luvas de látex preto para proteção

Luvas de látex preto são modelos de luvas de proteção que foram corados com um corante negro, de modo que fiquem com coloração preto profundo, em ...
Luvas de PVC ajudam na segurança dos trabalhadores

Cloreto de polivinilo, mais conhecido como PVC, é um termoplástico polímero que é utilizado para revestir o exterior das luvas de segurança, a fim de proporcionar proteção contra ...

Segurança do Trabalho
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Segurança do Trabalho


Veja na Agenda de Feiras e Congressos
Veja na Agenda de Feiras e Congressos

Google