Os acoplamentos de mandíbula são resistentes a óleo, sujeira, graxa, areia e umidade e não requerem nenhum tipo de lubrificação. São dispositivos utilizados na conecção de dois eixos em suas extremidades com a finalidade de um dado poder transmissor. Eles normalmente não permitem a desconexão dos eixos durante a operação, porém existe um limitador de torque que podem deslizar ou desconectar quando algum limite do torque é excedido.

Empresas relacionadas a acoplamentos de mandíbula

Excelencia em lubrificaçao industrial

Rua Capitão Danilo Paladini, 352 - Petrópolis - RJ - CEP: 25645-111
Telefone fixo: (22) 2580-4241
E-mail: vrlubrificantes@hotmail.com

DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA CAD 2D e 3D

Rua Agenor Porto, 102 - Rio de Janeiro - RJ - CEP: 21511-490
Telefone fixo: (21) 2473-2790 - Celular: (21) 9321-8100
E-mail: mecseg@mecseg.com.br
http://www.mecseg.com.br/

SOBROU MATERIAL DE CONSTRUÇÃO DA SUA OBRA OU DE SUA REFORMA?

Rua João Borges, 409 - Londrina - PR - CEP: 86063-290
Celular: (43) 9649-6262
E-mail: TROCATUDOCONSTRUCAO@HOTMAIL.COM
http://WWW.TROCATUDOCONSTRUCAO.COM.BR/

Uma desvantagem destes modelos é que lhes falta a capacidade de desalinhamento. Ao contrário de um acoplamento de fole, que é flexível,  os de mandíbula não suportam a operação, caso o movimento axial seja muito grande. Um desalinhamento angular ou paralelo pode fazê-lo suportar cargas que são mais elevadas do que outros similares.

Aqueles de mandíbula possuem a forma básica de uma engrenagem, mas são na verdade bem diferente dos de engrenagem. Estes dispositivos não utilizam os dentes grandes para mover ou girar como seria o caso em um conjunto de engrenagens. Em vez disso, fornecem a ação de bloqueio para a mandíbula e para o concentrador, mantendo a transmissão em conjunto, proporcionando redução efetiva de vibração.

Os modelos de mandíbula são utilizados como acoplamentos de motores para bombas, caixas de engrenagem, compressores, ventiladores, misturadores e transportadores para diversas aplicações, pois estes equipamentos podem ser encontrados em larga escala em qualquer processo produtivo em diversos ramos de atividade.

O elemento elastomérico é muitas vezes referido como uma aranha devido à sua forma circular com um número par de pernas sobressaindo. Ela serve para amortecer as cargas de impulso e minimizar o choque de um motor. O poliuretano utilizado pode ser suave, que proporciona um melhor amortecimento de vibrações, ou duro, o que dá mais força ao elemento chamado “aranha”. O material elastomérico do qual a aranha é confeccionada está disponível em diferentes graus de dureza, que dá ao operador maior controle sobre o quanto de vibração o dispositivo é capaz de absorver. Ele pode ser personalizado para uma aplicação específica, dependendo da necessidade daquele processo. Os cubos possuem curvas nas mandíbulas que se interligam e são capazes de reduzir a deformação da aranha o que impede sua reação. Essas uniões são consideradas a prova de falhas porque se há um defeito no funcionamento da aranha, as mandíbulas dos dois concentradores são intertravadas e criam transmissão de energia direta, e o veículo pode ser desligado com segurança.

Eles possuem melhor desempenho para aplicações que utilizam movimentos intervalados, ou qualquer tipo de movimento que também exijam precisão. Quantidades variáveis de absorção de vibrações tem um efeito direto sobre a duração do tempo de estabilização, onde o sistema faz uma pausa breve para realizar uma ação ou movimento com rapidez e precisão. Se as vibrações são absorvidas em sua maioria, em seguida, o sistema não tem como hesitar antes de realizar uma ação que aumente a velocidade da linha. São altamente precisos, mas ainda não são ideais para aplicações em que movimentos precisos são necessários durante todo movimento.

Imagens relacionadas a acoplamentos de mandíbula