Os acoplamentos flexíveis de eixo são utilizados para conectar eixos que estão com um leve grau de desalinhamento. O desalinhamento paralelo ocorre quando dois eixos são praticamente paralelos, mas com um pouco de desalinhamento, estando os dois eixos paralelos ao solo. O desalinhamento angular, os eixos se cruzam em ângulos entre si.

O desalinhamento axial é uma combinação de ambos, os desalinhamentos paralelos e angulares. O grau de desalinhamento desse dispositivo pode tolerar dependendo do seu material e sua aplicação, mas, em geral, até 5 graus de desalinhamento podem ser tolerados. O desalinhamento é a causa de 50% dos colapsos de rolamentos, pois os elementos de máquina (não só rolamentos, mas também selos, retentores, engrenagens) normalmente não estão preparados para a flexão induzida no eixo. Mesmo em valores residuais há esses esforços. Por serem flexíveis, eles absorvem estes desvios, reduzindo o esforço e aumentando a vida útil dos componentes. Os materiais mais comuns para os dispositivos flexíveis de eixo em automóveis são de aço inoxidável, que protege contra a corrosão e aumenta a capacidade de torque e força, o de alumínio, que é uma opção mais leve e menos dispendiosa, também é muito utilizado.

Certos tipos contém um disco central composto de plástico ou borracha que transmite torque. Os acoplamentos flexíveis de eixo são de forma cilíndrica, e variam de acordo com os diferentes tipos e suas funções. Estes componentes são utilizados para conectar eixos de transmissão em automóveis, pois eles são capazes de isolar a vibração em motores, hélices de pulso, e transmissões de engrenagem em barcos motorizados. Outras aplicações industriais incluem o uso em máquinas de impressão, máquinas de fabricação de papel, máquinas CNC, bombas hidráulicas e turbinas eólicas, entre outras.

Existem vários tipos desse dispositivo. O Oldham consiste em três componentes: dois concentradores e um disco plástico central. Ela acomoda ligeiramente o desalinhamento paralelo, ao fornecer reação quase zero. A reação é a quantidade de movimento perdido devido à depuração ou negligência quando o movimento é invertido e o contato é restabelecido. O de fole tem dois concentradores e um fole metálico de paredes finas e podem acomodar todos os três tipos de desalinhamento. Os de eixo único são normalmente feitos de uma única peça de alumínio e tem um sistema de cortes em espiral que lhe permitem dobrar a fim de acomodar o desalinhamento angular. Os de múltiplos eixos consistem em vigas sobrepostas que abordam problemas de rigidez torcional. Os de mandíbula consistem em dois concentradores metálicos, cada um com um conjunto de dentes de bloqueio e um de borracha flexível ou um pedaço de plástico, na forma de uma estrela que se encaixa entre eles, estes modelos possuem folga zero e funcionam bem em altas velocidades, mas não toleram uma grande quantidade de desalinhamento. Um modelo de eixo único é composto de dois concentradores que se dobram para acomodar o desalinhamento angular. O de eixo duplo tem dois concentradores que são ligados por um espaçador central adicional que lhes permite dobrar em direções opostas para gerenciar eixos desalinhados.

Imagens relacionadas a acoplamentos flexíveis de eixo