O grafite é usado para fazer anodos ou ânodos de grafite de projeção catódica, que são eletrodos que conduzem corrente elétrica em um dispositivo de polarização elétrica. Eles oferecem prevenção contra a corrosão, e são capazes de funcionar em uma ampla gama de ambientes, incluindo enterrados no solo e na profundidade de grandes quantidades de água doce e salgada, como lagos e mares.

Empresas relacionadas a anodos de grafite

GD DERIVADOS DE GRAFITES COMPONENTES ELETROMECANIOS

Rua Guido Lacceti, 26 Galpão - São Paulo - SP - CEP: 04849-190
Telefone fixo: (11) 5933-3691
E-mail: vendas@gdderivadosdegrafites.com.br
http://www.gdderivadosdegrafites.com.br/

Ultraseal Selos Mecânicos e Grafites

Rua Siqueira Campos, 1058 - Santo André - SP - CEP: 09020-240
Telefone fixo: (11) 4227-4100
E-mail: ultraseal@ultraseal.com.br
http://www.ultraseal.com.br/

Os ânodos de grafite são quimicamente inertes, duradouros, baratos e fáceis de aplicar nas máquina. Eles são utilizados em ambientes de alta resistividade, onde a densidade da corrente anódica não é um fator determinante. São feitos de grafite, geralmente uma combinação de coque de petróleo e de alcatrão de carvão, e são feitos depósitos em sistema de aterramento carbonado para aumentar a sua distribuição uniforme. Quando usado debaixo d'água, os anodos de grafite protegem os equipamentos contra a corrosão provocada pela água do mar e pelo cloro; por isso, são frequentemente utilizados pela indústria naval. Também são encontrados em dutos subterrâneos e submarinos, bem como em tanques de metal. Eles podem ser fabricados sob medidas variadas (personalizados) ou em tamanhos padrão, que são, geralmente, entre 60 e 150 mm de diâmetro e 1.200-1.500 mm de comprimento.

Como o grafite é muitas vezes bastante poroso, os produtos são impregnados com materiais não-condutores como cera microcristalina, resina ou óleo de linhaça de alta pureza, que veda os furos e protege contra a penetração de água, além de diminuir a reação eletroquímica no interior dos poros e, com isso, melhora a estabilidade e a taxa de desgaste do ânodo de grafite. A fabricação do anodo de grafite é simples e econômica. Cargas de coque de petróleo estão ligadas com o carbono produzindo aglutinantes e, em seguida, esse material passa pelo processo de extrusão. Em seguida, esses aglutinantes são levados a um forno industrial para assar. Uma vez arrefecidos, são sinterizados com base em um tratamento térmico que aumenta a densidade do grafite.