Os aquecedores de circulação são dispositivos de pré-aquecimento, que servem para manter e elevar a temperatura de líquidos e gases que fluem através de um determinado sistema. Como estas substâncias entram em contato com o elemento de aquecimento, o calor eletricamente gerado é transferido aos aparelhos.

Empresas relacionadas a aquecedores de circulação

Maxtronick - Manutenção Eletrônica Industrial

Praça Marcelino Machado, 96 102 - São Paulo - SP - CEP: 02134-030
Telefone fixo: (11) 2984-1949
E-mail: marketing@maxtronick.com.br
http://www.maxtronick.com.br/

Technoheat - Aquecimento Elétrico Industrial

Avenida Benedito de Lima, 346 - São Paulo - SP - CEP: 05376-020
Telefone fixo: (11) 3714-6644
E-mail: comercial@technoheat.com.br
http://www.technoheat.com.br/

O processo relativamente simples empregado por este aquecedor elétrico permite a sua utilização em uma variedade de contextos. Muitas indústrias utilizam esses dispositivos em ambientes industriais, além de comerciais e residenciais. Além disso, muitos processos como a dessalinização, a usinagem de plásticos, o refino de gasolina e fabrico de alimentos exigem a utilização desses equipamentos potentes.

Semelhantes a um aquecedor de imersão, há dois tipos mais comuns. Os de parafusos e flangeados contam, cada um deles, com tubos ou serpentinas escondidas em uma caixa proteção, que é aquecida e transfere calor. Contudo, esses modelos diferem na aplicação e colocação destes elementos. Enquanto em alguns aquecedores o processo de circulação consiste apenas no elemento de aquecimento imerso e em um conector externo. Os de circulação são instalados facilmente necessitando apenas da conexão de fiação e tubulação de base ao sistema existente. Para a montagem desses equipamentos, existem disponível no mercado industrial suportes especiais de montagem, além de produtos de revestimento próprios que utilizam temperaturas extremas, permitindo sua expansão e sua contração sem danos ao aparelho. As características adicionais incluem os termostatos reguláveis, opções de refrigeração, caixa à prova de explosão e revestimentos resistentes à corrosão.

Como aquecedores de circulação variam muito em valores máximos de temperatura, tamanho e outras qualidades essenciais, existem muitos elementos a considerar quando se seleciona a unidade adequada para uma determinada tarefa. A voltagem necessária, altura do aquecedor, entrada e saída de separação, acabamento, diâmetro nominal e diâmetro do tubo devem ser fatores cuidadosamente considerados.

O elemento densidade em watts é um dos requisitos mais importantes do sistema para garantir a eficiência e segurança. Isto significa é a quantidade de watts por centímetro quadrado que o aquecedor de circulação pode proporcionar. A densidade de watts, quando é muito baixa, não aquecerá totalmente o material, enquanto uma densidade de watts que é muito alta pode causar danos aos materiais sensíveis pelo excesso de calor. A composição da bainha é também crucial para o sucesso de um aparelho de aquecimento. Metais como o aço de baixo carbono, níquel e cromo ligas, cobre e aço inoxidável são opções comuns. A seleção da bainha é amplamente determinada pelos gases e líquidos destinados a passarem através de um aquecedor. Alguns materiais corrosivos, por exemplo, precisariam de uma bainha de aço inoxidável, uma vez que a resistência à corrosão é um benefício adicional que melhora a longevidade do aquecedor.