Os barris azuis são construídos a partir de material plástico, em que a cor geralmente significa que são capazes de realizar o serviço de transporte de armazenagem aprovados pelos órgãos reguladores. O tipo mais comum de plástico usado na fabricação é o polietileno de alta densidade (PEAD), que tem muitas características vantajosas, como alta resistência à tração e resistência química, bem como seu poder de reciclagem.

Empresas relacionadas a barris azuis

Tambores Petrotan Ltda.

Estrada de Ligação Corredor Perobal, 165 - Itaquaquecetuba - SP - CEP: 08584-410
Telefone fixo: (11) 4646-3771
E-mail: petrotan@petrotan.com.br
http://www.tamborespetrotan.com.br/

SOBROU MATERIAL DE CONSTRUÇÃO DA SUA OBRA OU DE SUA REFORMA?

Rua João Borges, 409 - Londrina - PR - CEP: 86063-290
Celular: (43) 9649-6262
E-mail: TROCATUDOCONSTRUCAO@HOTMAIL.COM
http://WWW.TROCATUDOCONSTRUCAO.COM.BR/

Lar dos Tambores

Avenida Róssio do Carmo, 46 - São Paulo - SP - CEP: 02861-090
Telefone fixo: (11) 3851-3580
E-mail: contato@lardostambores.com.br
http://lardostambores.com.br/

Existem muitas indústrias que utilizam os tambores azuis para aplicações de manuseio de material, incluindo: alimentos e bebidas, para o transporte de alimentos líquidos de baixa viscosidade e seu armazenamento; também em processamento químico, para o transporte seguro e armazenagem de uma vasta gama de produtos químicos como carbonato de amônio, cloreto de bário e ácido carbônico; em estações de tratamento de águas residuais, para o manuseio seguro de materiais potencialmente perigosos; no setor automotivo e na área aeroespacial, para a movimentação e a armazenagem de óleos lubrificantes e na produção industrial, para a movimentação e armazenagem de diversos produtos químicos e óleos necessários nos processos de fabricação diferentes. Também são empregados como tambores de chuva, o que significa que eles são usados para coletar a precipitação das chuvas. Eles são abastecidos com até cerca de 40 litros.

São mais fabricados por um processo de moldagem por injeção de sopro. Como esse processo é uma combinação de moldagem por injeção e de sopro, ele envolve muitos mais passos do que qualquer outro processo. Como resultado, os tambores moldados por injeção de sopro são geralmente feitos em volumes muito altos, a fim de anular o aumento do custo da criação de dois moldes diferentes para um processo. Para começar a moldagem por injeção de sopro, o molde feito de plástico é formado quando um pré-molde termoplástico é aquecido até que chegue a um estado derretido e, em seguida, é injetado ao redor de um mandril oco. Uma vez semi-curado, o plástico recém-formado fica macio e moldável ainda em torno da haste, através da qual ele é colocado dentro da câmara de moldagem por sopro. O mandril de aço, em seguida, estende-se, forçando o alongamento do plástico, de acordo com o tamanho desejado, o que também aumentará a resistência à tração do barril. Em seguida, o mandril oco é usado para injetar ar comprimido na matriz plástica. O ar comprimido faz com que o plástico derretido seja inflado como se fosse um balão, resultando em compressão contra as paredes da cavidade do molde, e o plástico adquire sua forma. Após o resfriamento e endurecimento, o barril azul recém-formado é ejetado do molde. O barril azul mostra imediatamente um projeto dinâmico e não precisa mais ser cortado. Como as máquinas de moldagem por injeção de sopro utilizam mandris múltiplos, essas máquinas podem ser utilizadas para conformar até 12 barris azuis ao mesmo tempo.