As bombas de fluxo axial são máquinas que convertem energia mecânica em energia cinética, aumentando a pressão de um líquido através da força centrífuga. Os líquidos são praticamente incompressíveis, ou seja, eles não podem ser pressurizados e reduzidos em volume. No entanto, eles podem ser influenciados pela força centrífuga, que é a força que faz com que as substâncias se afastem do seu centro de rotação.

Empresas relacionadas a bombas de fluxo axial

Informe Comercial

Rua Apóstolo Paulo, 97 Núcleo Pimentel - Ponta Grossa - PR - CEP: 84032-572
Telefone fixo: (42) 3225-7644 - Celular: (41) 8508-0027
E-mail: [email protected]

Top Bombas - Solução em Bombeamentos

Avenida Winston Churchill, 2370 sala 107 - Curitiba - PR - CEP: 81150-050
Celular: (41) 9151-3245
E-mail: [email protected]
http://topbombas.com.br/

Os líquidos se submetam à pressão dessa força e são direcionados para dentro, através e para fora. Os modelos de fluxo axial constituem-se de um rotor, uma câmera feita de metal e um motor contido dentro desta câmera, e são feitas de alumínio, ferro fundido ou aço inoxidável. O fluxo axial é um dos três tipos de fluxo gerado por centrífugas, juntamente com os fluxos radiais e mistos.

Têm as menores dimensões dos três tipos de bombas centrífugas. São comumente utilizadas para o levantamento e transporte de água, uma aplicação valiosa que encontra uso em aplicações comerciais, industriais e ambientes residenciais. As centrífugas são usadas em estações de tratamento de esgoto e de águas residuais para lidar com detritos e resíduos. Assim como as de água, as de fluxo axial são capazes de mover a água de sua fonte subterrânea até os edifícios para uso humano e também são utilizados para drenagem e para transferência ou transporte de lastro. Os modelos são pesados e, quando produzidos com base em materiais de alta qualidade, conseguem bombear produtos corrosivos, adesivos e produtos químicos.

Os tipos têm um design simples. Um rotor é montado sobre um eixo de rotação dentro de uma câmara, expandindo seu tamanho, a fim de retardar o líquido, aumentando a pressão até que ele atinja a abertura de descarga. Os modelos empregam os mesmos princípios, só que o rotor levanta o líquido em uma direção paralela ao eixo da bomba, em vez de empurrá-lo em uma direção perpendicular. O rotor é semelhante a uma hélice de um barco. Elas utilizam a hélice para criar uma ação de elevação, além de transmitir o líquido com a energia cinética de rotação. As lâminas ou palhetas na hélice são dobradas para moverem-se através do líquido de tal forma que seu movimento faça com que o líquido se mexa em uma direção oposta, no sentido de elevação. São exemplos de bombas verticais que podem ser instaladas em terrenos ou locais com buracos bem profundos, devido a seus eixos na posição vertical. Se ela está submersa em água ou instalada no subsolo, o motor que impulsiona o propulsor será mantido em uma caixa selada como acontece com a maioria dos modelos submersíveis, ou o propulsor será montado na tubulação do lado de fora. Ao mudar o ângulo da hélice, a vazão e a pressão serão ajustadas em conformidade.