Os modelos de bombas dosadoras de diafragma empregam membranas flexíveis para alterar o volume de uma câmara controlada de forma eficaz, a fim de deslocar os fluidos com exatidão e precisão. Como todas as dosadoras, os modelos de diafragma são usados em muitas aplicações industriais e comerciais, sendo elogiados por sua capacidade de dar um contributo líquido consistente, a fim de manter um fluxo de processo homogêneo, mesmo com o uso contínuo.

Empresas relacionadas a bombas dosadoras de diafragma

Bomax do Brasil Equipamentos Industriais Ltda.

Rua Europa, 30 - Taboão da Serra - SP - CEP: 06785-360
Telefone fixo: (11) 4138-8800
E-mail: bomax@bomax.com.br
http://www.bomax.com.br/

Informe Comercial

Rua Apóstolo Paulo, 97 Núcleo Pimentel - Ponta Grossa - PR - CEP: 84032-572
Telefone fixo: (42) 3225-7644 - Celular: (41) 8508-0027
E-mail: duplapressao@pop.com.br

Manutencao e reparos em equipamentos industriais

Rua Estudante Suely Gomes Vieira, 68 - Macaé - RJ - CEP: 27925-450
Celular: (22) 9921-9474
E-mail: orlando-barros@ig.com.br

Com as taxas de alta precisão, uma quantidade exata de líquido é bombeada em intervalos pré-determinados. Este tipo particular de equipamento de medição é utilizado nas operações diárias nas indústrias de alimentos, de processamento de bebidas, nas fábricas químicas, na mineração, no setor eletrônico, petroquímico, no manuseio de materiais e na área de transportes, na construção civil, na medicina e nas indústrias automotiva e agrícola. As imensas capacidades destes medidores de líquidos são demonstradas pela sua utilização para o transporte de milhares de litros de petróleo bruto e de combustível. Sua precisão é ilustrada pela sua utilização em corações artificiais. Duas técnicas são usadas para acionar o sistema de alongamento e contração do diafragma, a fonte de deslocamento. O ar comprimido é usado para esticar a membrana de bombas pneumáticas, enquanto outros modelos empregam uma haste de pistão ou outro dispositivo mecânico que está ligado ao centro do filme, a fim de empurrar ou puxar e alterar o volume da câmara adjacente. O sistema hidráulico também podem ser utilizado em lugar do sistema pneumático, mas com o uso de fluido hidráulico em vez do ar. Não importa o atuador, a bomba é particularmente popular, pois é de baixa manutenção, tem poucas partes móveis e é menos propensa a vazamentos do se comparadas às dosadoras de pistão. As dosadoras de pistão são, na maioria das vezes, a fonte de vazamentos devido ao atrito repetido e ao desgaste ao longo do tempo.

O projeto é essencial para seu sucesso e precisão. A bomba de diafragma é relativamente simples no design, o que a torna altamente confiável. Na maioria das vezes, um único diafragma está ligado às paredes do interior de uma câmara cilíndrica. Apertado ou não vedado, isso cria uma barreira entre o dispositivo de acionamento e o fluido. No extremo oposto da cavidade ficam as conexões de entrada e de saída, ambas com as válvulas de retenção para garantir a direcionalidade do fluxo adequado. Quando a membrana é retirada, o volume da câmara é aumentado, diminuindo a pressão e criando um vácuo que atrai uma quantidade específica de fluido através da válvula de admissão. Materiais como alumínio, aço inox, ferro fundido, latão e bronze são utilizados para a construção do corpo, enquanto etileno-propileno, borracha, plástico e outros elastômeros são composições comuns para a própria membrana. A seleção do material é extremamente importante e deve levar em conta os líquidos que serão bombeados, pois podem incluir água, óleos, solventes, líquido de arrefecimento, combustível e ácidos bem como outrps perigosos materiais tóxicos. Os líquidos abrasivos também exigem a construção de um tipo de diafragma particularmente durável.