As bombas peristálticas são um único tipo de dosadora, que utiliza rolos que se contraem e se estendem, a fim de levar líquidos de um lugar para outro. O conceito vem do peristaltismo, que é um processo orgânico. São modelos de deslocamento positivo usadas em aplicações de transferência de fluidos de um ponto de alta pressão para um ponto de baixa pressão.

Empresas relacionadas a bombas peristálticas

Bomax do Brasil Equipamentos Industriais Ltda.

Rua Europa, 30 - Taboão da Serra - SP - CEP: 06785-360
Telefone fixo: (11) 4138-8800
E-mail: bomax@bomax.com.br
http://www.bomax.com.br/

Informe Comercial

Rua Apóstolo Paulo, 97 Núcleo Pimentel - Ponta Grossa - PR - CEP: 84032-572
Telefone fixo: (42) 3225-7644 - Celular: (41) 8508-0027
E-mail: duplapressao@pop.com.br

No setor químico, em laboratórios, indústrias médicas, farmacêuticas, de tratamento de esgoto, na construção civil, em indústrias de embalagens, na agricultura, nas fábricas de papel e celulose, em sistemas de tratamento de água e em outras instalações de engenharia é comum o uso frequente dos sistemas de bombeamento peristáltico. Como todos os equipamentos de medição, são projetadas para criar um fluxo consistente e cíclico de líquidos em uma corrente de processo, a fim de manter a homogeneidade do produto final ou da solução. A operação é única entre as bombas para líquidos. Embora os dispositivos específicos variem de um tipo industrial para outro tipo, a função geral é bem semelhante. Um pedaço de tubo flexível é enrolado ao redor de um caminho circular que circunda a cabeça. Um ou mais rolos são anexados ao centro cilíndrico, sendo utilizados para comprimir o tubo em intervalos variáveis. Conforme os rolos se movem ao longo do caminho, eles deslocam os fluidos no interior do tubo, que são transferidos através de uma válvula de alívio. Quando o cilindro é retirado, o tubo se expande, voltando ao seu volume original e criando um vácuo que puxa mais fluido dentro do dispositivo; sendo assim o ciclo se repete. Ao contrário de muitos outros tipos, incluindo as de fole, dosadoras de diafragma e de pistões de medição, o mecanismo de bombeamento peristáltico nunca faz contato com os fluidos dispensados. Isso faz com que a sua utilização seja preferencial em aplicações nas quais os líquidos estéreis são necessários, tais como no setor de processamento de alimentos e bebidas.

Há três projetos comuns operacionais associados. As de oclusão fixa têm um intervalo em que os rolos são colocados, e uma pressão de ajuste pode ser aplicada. Isso permite que haja uma pequena variação no tamanho do tubo e do material, mas fornece uma pressão constante e um desempenho consistente. As de mola com rolos permite maior variação de materiais e de caudais. Estes equipamentos oferecem uma operação de estresse constante, mas ajustam-se aos tubos de tamanhos diferentes, que podem ser utilizados para diferentes processos de fabricação. O terceiro tipo de projeto da bomba peristáltica, é o que é conhecido como 360 graus excêntricos. Esses mecanismos têm um único rolo de grandes dimensões que passa por uma revolução completa, comprimindo o tubo ao longo do caminho. Este projeto específico pode aumentar o fluxo por revolução até 55% em relação a projetos alternativos do mesmo porte. Embora nem sempre se mostre aplicável, esta terceira opção também reduz o desgaste e o atrito na tubulação, pois existe apenas uma compressão por revolução, enquanto outros podem experimentar a carga de estresse três ou quatro vezes durante uma única operação. A resistência ao calor e ao desgaste da tubulação escolhida para uma aplicação de bombeamento são fatores muito importantes a levar em consideração. Alguns materiais elastoméricos extrudados, tais como borracha de silicone e fluoropolímeros, são utilizados, uma vez que eles mantêm uma seção circular, apesar das compressões múltiplas. A compatibilidade química entre as mangueiras e os líquidos transferidos no processo também é de grande importância. Outras considerações incluem diâmetro interno e externo, vazão, o número de rolos e a espessura da parede.