Chillers de absorção são equipamentos que apresentam poucas vibrações e ruídos, requerem baixa manutenção, são seguros e não usam qualquer tipo de gás CFC. Pelo fato de que movidos principalmente pela energia térmica em vez de energia mecânica, os resfriadores de absorção, são utilizados em fábricas industriais que utilizam caldeiras ou recebem o calor desperdiçado de máquinas e processos diferentes.

A fonte de calor pode ser solar, hídrica, gasosa ou em forma de vapor. Dessa forma, esses equipamentos reduzem picos de carga elétrica em um edifício, reduzindo os custos durante as horas mais quentes do ano. Eles podem agir como um sistema de arrefecimento único, ou como parte de um sistema integrado de aquecimento e de resfriamento. Embora mais complexos, esses equipamentos agem de forma semelhante a algumas geladeiras residenciais, que têm uma chama de gás no fundo e cubos de gelo no topo.

Os componentes são integrados: o equipamento condensador, o compressor e o evaporador estão todos contidos em uma única área dentro do compartimento da máquina. O processo começa quando um fluido refrigerante, geralmente a amônia, dióxido de carbono, dióxido de enxofre, álcool, salmoura ou metano, é colocado sob pressão, causando acúmulo de calor no compressor. O líquido é então convertido em vapor, e é transferido para o condensador. O calor faz com que o gás se transforme em líquido. O líquido resfriado, em seguida, se desloca para o evaporador e se transforma em gás, puxando o calor de um líquido refrigerante ou do ar. O ar refrigerado ou fluido é bombeado para dentro do compartimento, efetivamente resfriando-o à temperatura desejada. A bomba é o único componente eletricamente potente. Os modelos podem ser diretos, ou seja, a fonte de calor é o gás ou o combustível que é queimado na unidade, ou indiretos, usando fluidos de transferência de vapor para captar o calor de outras fontes como a caldeira ou vários geradores de calor de processos industriais.