O código de barras implica na produção e aplicação de etiquetas codificadas concisas, que permitem que os fabricantes adquiram grandes quantidades de informação sobre um determinado produto específico ou recipiente sem o uso de etiquetas grandes e até mesmo pesadas. Considerado um componente integral da indústria moderna, podem ser encontrados em um grande número de aplicações industriais e comerciais, tais como biblioteca de transporte, varejo, serviços postais, fabricação, sistemas automatizados, armazéns, inventários e virtualmente qualquer ambiente onde os produtos devem ser facilmente rastreados e contabilizadas.

A popularidade do seu uso se deu na simplificação do mesmo aos mais complexos processos de rotulagem. Uma série de linhas e espaços de espessuras variadas intencionalmente acompanhadas por um código alfa numérico, estes produtos compactos utilizam recursos de última linha, fornecendo assim informações diversas, tais como nome do produto, peso, preço, fabricação, datas importantes, emissão e receptor, conforme necessário. Com escâneres sofisticados de luz direta e o contraste do preto e branco envia de volta um código específico que é traduzida por um software de computador ligando-o aos dados armazenados. A escolha do software é o único fator que limita o tipo e a quantidade de informações relacionadas com um código específico. Apesar de que eles podem ser impressos ou gravados sobre o produto diretamente, isto pode ser mais caro e, muitas vezes, dificulta a concepção e a eficiência da produção. O uso de adesivos ou etiquetas sensíveis a pressão fornecem segurança na pós-produção de codificação.

Vários tipos estão amplamente disponíveis para acomodar os diversos setores que agora implementam o padrão de codificação, exigindo-lo em todos os produtos e encomendas. As etiquetas abrangem uma ampla gama de materiais feitos de papel, mas também encontramos modelos fabricados com produtos sintéticos, que estão disponíveis em forma de folha e rolo com folha protetora, ou até mesmo adesivo. As barras precisam aderir com alto grau de permanência. É importante escolher os materiais de etiquetas que sejam compatíveis não só com a carcaça do produto, mas também de acordo com as condições que ela vai durar, como no caso de congelamento, aquecimento, intempéries diversas e lavagem. A impressão e aplicação também tem um impacto sobre a permanência de etiquetas. Embora haja muitos tipos de impressoras disponíveis, os modelos que usam direta transferência térmica são as mais comumente usadas e muitas vezes vêm em barras de modelos específicos, que podem imprimir códigos de barras lineares, empilhados e matriz. As impressoras térmicas diretas empregam papel especial que sofrem uma reação química e fica preto quando exposto ao calor da impressão gerada. A impressão da transferência térmica também utiliza o calor, embora não seja aplicada diretamente ao estoque da etiqueta. Em vez disso, uma resina ou cera reveste a fita de transferências para a tinta do papel ou plástico quando aquecido. Na opção de impressão de etiquetas este processo é considerado mais durável, mas muitas vezes é mais caro que os modelos diretos. A qualidade e orçamento em questão devem ser considerados sempre.