As corrediças telescópicas são dispositivos de movimento linear que são capazes de movimentos de compactação e extensão, como resultado de peças concêntricas que deslizam para dentro de si. Estes equipamentos operam e possuem forma similar às de gaveta. Os modelos telescópicos são mais adequados para aplicações de produção industrial, devido às características físicas, tais como choque e maior resistência a vibração, o movimento suave e uma maior resistência à tração.

Empresas relacionadas a corrediça telescópica

Ferragens Colar

Rua do Gasômetro, 170 - São Paulo - SP - CEP: 03004-000
Telefone fixo: (11) 3229-5069
E-mail: vendas@ferragenscolar.com.br
http://www.ferragens.net/

Metalnox Ferragens Ltda.

Rua José Theodoro Ribeiro, 3571 - Jaraguá do Sul - SC - CEP: 89258-001
0800: 0800 7034959
E-mail: puxadores@metalnox.com.br
http://www.metalnoxferragens.com.br/

Em relação aos locais de aplicação, são bem utilizadas em indústrias e operações especiais: operações de resgate em incêndios, equipamentos e ferramentas para aplicações de montagem seja ela comercial ou residencial, para aplicações em eletrodomésticos, eletrônicos e aplicativos para transporte e armazenagem. Já nas indústrias, em diversos ramos como no automotivo e aeroespacial, construção de veículos e de navegação. Também podem ser usadas em móveis, construções navais, arquitetura, construção e mineração para várias aplicações, incluindo o manuseio de materiais. Como as guias lineares são pesadas, as corrediças telescópicas são muitas vezes construídas para resistir a ambientes extremos e utilizam materiais resistentes à corrosão como o aço e aço inoxidável. A fim de proporcionar alta durabilidade e resistência, estes equipamentos são mais frequentemente construídos em aço ou aço que foi submetido a um processo de endurecimento diferente. Os serviços adicionais, tais como revestimento de epóxi também podem ser utilizados para aumentar a resistência à corrosão da lâmina telescópica.

Os tipos telescópicos possuem uma composição muito básica. Elas consistem em dois componentes principais: uma base fixa linear, também conhecida como um trilho linear, e um movimento de um carro ou transportador. O trilho possui ranhuras que permitem o movimento do transportador para ter espaço para percorrer. Estes sulcos são também conhecidos como pistas ou canais adutores, e o tamanho destas pistas afetam a capacidade de carga. O carro em movimento pode ter mobilidade fornecida como um resultado dos rolamentos de esferas ou rolamentos de rolos, embora, rolamentos de esferas sejam mais comumente usados.

Estes dispositivos são utilizados para reduzir a quantidade de atrito entre os objetos, os rolamentos de esferas permitem que os objetos mais pesados sejam movidos mais facilmente e são normalmente feitos de aço ou material cerâmico. Os rolamentos de rolos trabalham com a mesma capacidade, mas são de forma cilíndrica, em vez de esférica. Dentro do carro ou transportador em movimento há normalmente um parafuso de esferas e porca que fornece um movimento linear. Para dar movimento, uma porca é rosqueada sobre a parte não giratória do parafuso, assim, a porca é impedida de girar. Em vez disso, a porca é conduzida ao longo da rosca do parafuso na direção correspondente ao movimento de rotação do parafuso. Como resultado, é através da porca que o movimento linear é alcançado. Outros parafusos podem ser utlizados quando há necessidade de capacidade elevada, porém os parafusos de esferas são os que oferecem um atrito reduzido durante a operação.